domingo, 1 de abril de 2007

Como um Dia de Domingo....

Arnaldo Roche: Mentiras e Paraíso

Estranha necessidade de um ente frágil na sua desprotegida mas eternamente fantasista condição, a de consagrar um dia à Mentira, se não com celebrações, ao menos com desculpação correspondente! Cedência irrevogável à constatação de que não é fácil, neste Mundo, a edificação de uma dimensão paradisíaca, de onde fosse erradicada a falsidade; mas, infaustamente, também o perigo de mobilizar essa dose de experiência traduzida na desilusão, para a defesa dos fracos, que consiste em acreditar em que, para além do terreal, todo o paraíso seja uma mentira. Quantos não assistimos já a essas caminhadas? Primeiro, o impulso de espreitar para detrás da tela onde o Belo e o Puro é prometido, ou indicado; depois, cientes ou não de que a vista é curta para alcançar sem esforço, a transigência com a saída mais fácil, que se acha na negação preconceituosa, de um preconceito que obriga a definhar o Ser. Neste 1 de Abril tentei dizer algo da Verdade em que acredito, mesmo sendo a contracorrente da hora.

6 comentários:

cristina ribeiro disse...

Tarefa difícil(se é que é possível),erradicar a Mentira deste nosso jardim florido...

Gazeta da Restauração disse...

Erradicar a mentira pela prática do Bem. A mentira é a Sua ausência, tantas vezes inconsciente. Vendo bem, a mentira não existe sem Verdade... sem o Seu vazio.
Tudo depende da Verdade para Ser. Sejamos nós os arautos da Verdade, para Sermos plenamente.

forte abraço

Anónimo disse...

O Vitor Luis “foi ao focinho” do Fernando Araujo em
http://jansenista.blogspot.com/2007/03/pseudo-vl-cesaropapismo-e-pseudo.html

O Réprobo disse...

E o pior, quando essa projecta no outro a condição de mentiroso, por pura incapacidade própria de ver, Chère Christine!

O Réprobo disse...

Gazeteiro Amigo, por isso urge, apesar da repugnância que nos inspire a maioria que nos rodeia, encontrar um registo em que sirvamos a Luz e sirvamos para alguma coisa.
Retribuído enfaticamente.

O Réprobo disse...

Dada a aposição do comentário neste "post", só posso concluir que é esse o Paraíso ao alcance de Palestinas Livres.