quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

A Duração

A Rainha por Dorothy WildingA Rainha Isabel II tornou-se a mais idosa Monarca do Reino Unido. O estatuto actual dos Monarcas Britânicos pode ser prejudicado por uma prensa, tendo de um lado os que ambicionam testemunhar o confronto e a recriminação em todos os patamares institucionais; e do outro aqueles que desejam ver na Realeza a força de coesão que se substitua aos partidos destruidores na orientação do Poder. Acredito que são os Segundos que têm a razão, só podendo uma Nação ser feliz quando os governantes forem chamados, a partir de Cima, em vez de tentarem escalar à custa de campanhas mobilizadoras contra compatriotas seus.
Mas isso não obsta a que repudie veementemente todas as manifestações de desapreço ou desprezo pelas Coroas em que as eleições partidárias dominam. O conforto de um Ser Humano que, sem ter escolhido carreira, se devota às obrigações de continuidade que minorem os sobressaltos de um Povo é instância apaziguadora em todos os que sentem dissipar-se a memória dos que nos geraram, ofuscada pelas notícias tumultuosas da Actualidade. Saber que somos súbditos de Quem Pais e Avós também foram e que idêntico vínculo nos prolonga retrospectivamente na relação com os antepassados do Ente Reinante é, dentro da Espécie, a melhor maneira de combater os avatares da brevidade - modas de ideias, sufrágios de mudança, consumismo, divórcios, mobilidades forçadas de empregos e residências.
Os parabéns que são reafirmados referem-se sempre à duração, que é o contrário da vergonha de si. E que aqui ficam dados

4 comentários:

Carlos Portugal disse...

Nem mais, Caríssimo Amigo. Embora eu não nutra especial simpatia pela Casa Reinante britânica, que teve de dar o nome do castelo de férias a uma dinastia, que de outro modo pareceria demasiado germânico.

Mas não é por isso, de modo algum. As Casas de Hannover e de Saxe sempre tiveram a minha simpatia. Mas de facto, para além de Isabel II ser grão-mestre da Loja de York (Rito Escocês Rectificado) da Maçonaria Inglesa, com todas as adulterações que os aventais têm vindo a sofrer (é verdade, apesar do Rito Escocês, em princípio, não admitir mulheres. Isabel II é grão-mestre como soberano), tem alinhado com grupos Bilderberguianos e afins, permitindo o desmoronamento da soberania britânica a favor dos globalistas, contrariamente ao que ela seria suposto defender.

E há ainda o terrível segredo que levou o (bom) Rei Jorge VI a afundar-se numa tristeza infinda, que possivelmente facilitou o aparecimento do cancro que o vitimou. Consta que terá a ver com Winston Churchill, com a morte do Duque de Kent e com... Rudolf Hess. Segredo que possibilitou o avanço dos destruidores de monarquias e soberanias, e o início do desmoronamento do Império Britânico, ainda em vida do Soberano.

Contudo, concordo plenamente com o que o meu Caríssimo Amigo escreveu, e peço-lhe que aceite, para além do grande abraço habitual, as melhores saudações monárquicas.

O Réprobo disse...

Meu Caro Carlos Portugal,
eu cá até acho que a mudança do apelido foi uma saudável medida para se aproximar do Povo sobre o qual se reinava. E recuperou hábito antigo, o de nome e propriedade estarem ligados, coisa muito perdida. Além de que era mais complicado no caso arranjar uma tradução literal como os Bittenberg para Mountbatten...
Quanto ao avental, não recomendo a quem quer que seja, mas temos de reconhecer que nas Ilhas Britânicas teve sempre contornos diversos dos continentais.
Já esses contactos privilegiados de bastidores são de fugir. Mas aposto que são decididos mais pelos políticos do que pela Família Real, de sua livre iniciativa.
Abraço

Capitão-Mor disse...

GOD SAVE THE QUEEN!!! Já viu o filme? Eu gostei...

O Réprobo disse...

Vi, sobretudo achei que era muitíssimo bem desempenhado o papel principal
Abraço amigo, Meu Caro Capitão-mor