sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Faraós, Múmias e Camelos

Uf! Depois de um dia de escravo das construções de Gizé, em que se blocos de pedra não carreguei, os substituí bem por sacadas de livros, chego a casa, abro o computador e dou com o Mundo a girar à volta da viagem oferecida a Sarko & Carla por um empresário de comunicação.
Em primeiro lugar, cumpre lamentar que no dia de hoje, em Países Cristãos, se pareça pensar que a Fuga para o Egipto diz respeito a este périplo. Depois, não percebo a admiração, tanto compararam o Presidente Francês ao primeiro Bonaparte que ele, sabedor do episódio célebre do outro termo da comparação, deve ter achado que os quarenta séculos das Pirâmides teriam muito mais gosto em contemplar a Bruni do que os soldados de França. Como diria o célebre professor encarnado por Agildo Ribeiro, aquele que chamava "múmia paralítica" ao vigilante, a BruuuuuuunI!!!...
Depois, não percebo o espanto com o fausto de uma visita que vai cirandar por uma terra de nome LUXOr...
E chegamos à vaca fria, quer dizer, ao momento de falar a sério. Os políticos oposicionistas interrogam-se sobre quais os ganhos que serão dados ao patrocinador, como contrapartida. A questão é legítima e pertinente, já tivemos um caso paralelo com umas férias oferecias a José (então Durão) Barroso por um empresário. A minha resposta é de que o caso português cheirava pior: com personalidades senhoras de uma imagem tão namoradeira das câmaras e objectivas como o casal excursionista, o sponsor pode defender-se dizendo que o seu lucro foi ver o nome associado a eles.
Alguém concebe a mesma justificação tendo por base o actual Presidente da Comissão Europeia?

8 comentários:

Capitão-Mor disse...

Ok, a reportagem na revista "Caras" sai já na próxima semana! :)

Bic Laranja disse...

Que grande ferroada.
(Não sei se foi mas no caso do ex-revolucionário a associação foi a uma quinta na Falagueira...Vai ver, o empresário de cá é dedicado à pecuária.)
Cumpts.

O Réprobo disse...

Que por aqui só se falou na parte da questão com interesse psicológico-político e ético, Meu Caro Capitão-mor. Devo dizer que considero muito infeliz a escolha do nome da revista que mencionou para um orgão da "Imprensa do Coração". Pois não se diz que quem vê Caras não vê corações?
Abraço

O Réprobo disse...

Ahahahahahahahaha! Grande foi a Sua, Meu Caro bic Laranja. Este comentário genial, combinado com a teorização da Vara que o Confrade Jansenista vem dando a propósito de movimentações bancárias, evidenciam a verdadeira expressão da porosidade, como agora se diz, entre empresas e políticos.
Abraço

Rudolfo Moreira disse...

Com a ameaça particular que paira sobre a área de maior atracção turística do Egipto foi uma forma de os pombinhos mostrarem arrojo um ao outro.

O Réprobo disse...

Mas, por causa da ameaça, também é a que tem maior e melhor segurança, Amigo Rudolfo.
Ab.

tsantos disse...

Onde é que foste desencantar o fantástico retrato do grande Napo (ainda Bonaparte, nessa altura) que ilustra este post?!

O Réprobo disse...

Meu Caro TSantos,
é a que gosto mais da série que Gérôme pintou sobre a temática. Há outras, com camelos em destaque, mas achei que seria redundante, adicioná-los aos gritantes deputados Socialistas Franceses...
A tela foi parar aos States, parece.
Abraço