sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Livre Circulação de Bens

Pois nem tudo é mau na integração Europeia: neste Natal, por louvável iniciativa de uma Prima, tenho, em companhia do Bolo Rei um Panettone autêntico, dos que fazem as delícias dos Italianos, dos de Milão, especialmente.
É manjar Cristianíssimo, herdeiro directo de um grande pão familiar, benzido e comido em conjunto, simbolizando a Santíssima Trindade e em cujos restos latejavam, diz a lenda, características taumatúrgicas.
Fosse a sua origem a de uma das versões apontadas como Pane de Toni, cabendo a este o papel do ajudante de cozinha que salvou com a sua invenção um jantar que o Duque de Milão oferecia, após o chef ter deixado queimar a ementa prevista, ou sendo o pseudónimo de um Cavaleiro que o usou para prender a sua Dama pelo estômago - e com ela os Pais, ou, pelo contrário, repousando o surgimento na Freira de pobre convento que assim alimentou as Irmãs, desde o Século XV é lembrança habitualmente trocada entre pessoas que se estimam, nas Transalpinas terras.

Ao ponto de dois amigos íntimos que frequentemente se zangavam, Puccini o Compositor e Toscanini, o Maestro, terem protagonizado uma história engraçada. P tinha o regente Arturo na lista daqueles a quem pretendia distinguir com o envio da guloseima e deu os nomes ao confeiteiro encarregado das entregas. Entretanto travou-se mais uma vez de razões com o seu compincha e foi tentar evitar o envio do presente. Nada a fazer, já tinha seguido. Mandou então um telegrama, dizendo:
Panettone enviado por engano
Ao que o destinatário respondeu com outro do seguinte teor:
Panettone comido por engano
E para não Vos enganar também, sigo direitinho para a mesa em que ele me espera.
FELIZ NATAL

10 comentários:

T disse...

Feliz Natal seu guloso:)

Anónimo disse...

*Feliz Natal*

I

O Réprobo disse...

Cleeeeeeip, Querida T.

O Réprobo disse...

Igualmente, I.
Obrigado

cristina ribeiro disse...

Um Santo Natal, Paulo!
Beijo

O Réprobo disse...

Tambem para a Cristina e Toda a Família. Sem embargo de aqui o recanto naão fazer férias.
Beijo

Capitão-Mor disse...

Por aqui também é o Panettone que é o verdadeiro Bolo-Rei!!!! Hum...acho-o meio desenxavido!

O Réprobo disse...

Acha, Caríssimo Capitão-Mor? Tem-me sabido bem. A massa é bastante diferente da do nosso Real doce. Mas atenção, não prescindi do produto da Garrett, apesar de atacado por todos os lados.
Abraço

Xantipa disse...

Meu caro Réprobo,

Há mais de 20 anos que uma amiga berlinense me envia um Christstollen, de Dresden. Tem passas e um travo a rum ou a algo parecido... muito bom! Agora também vendem no Lidl uma coisa parecida, mas não é a mesma coisa.
Festas Felizes!

O Réprobo disse...

Querida Xantipa,
imagino! A diferença de um Bolo Rei de confeiteiro especializado para o de super ou hipermercado também é notória. Beijinho e Óptima Quadra para a Senhora Sócrates, também.