sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Rir É O Melhor Remédio

Dona T., a Greta com que me brindou tem tanto de sorridente como a Gioconda - muita fama e escasso proveito. Para provar que o Riso não é incompatível com Garbo, mesmo na filmografia, sugiro este livrinho...





...onde se encontram exemplos muito mais francos...





...nada incompatíveis com a "Fatalidade" da Femme, como atesta «The Temptress»...





...sendo que até no «Ninotchka» que citou se encontra melhor!



E agora, Júlia?


Posted by Picasa

19 comentários:

T disse...

Eu tenho uma biografia melhor:)
Bj

O Réprobo disse...

Com fotografias sorridentes?! Ah, com que então a tentar burlar o vizinho, heim?
Bjinho

JuliaML disse...

Aqui está mais garbosa, sim senhor!

Na foto que a Tê lhe impingiu mais parece uma perceptora :-))

:-))

O Réprobo disse...

Ehehehehehehe, Querida Júlia. bem achada! Há que dar o desconto de corresponder ao momento em que a personagem estava a aprender a rir, esse luxo capitalista... na propaganda do grande Capital.
Beijinho

FSantos disse...

Ah, "Ninotchka"...
«Look, Paris at night. Isn't it beautiful?»
(Friamente) «Yes, but what a waste of electricity.»

T disse...

Então Júlia..era o papel dela de proletária rigorosa:)

O Réprobo disse...

Ehehehehehehe, É o filme da GG de que gosto mais Caro FSantos.
Muito superior ao remake musical, com uma Cyd Charisse todavia espectacular, um Astair safando-se bem, especialmente quando, interrogado sobre se está do lado dos opressores ou dos oprimidos, respponde: "dos opressores, definitivamente. É muito mais divertido". E com a curiosidade de um Peter Lorre entre os três funcionários convertidos aos encantos burqueses.
Abraço

O Réprobo disse...

burgueses, irra!

O Réprobo disse...

Uma verdadeira carrancuda comissária política, T. Mas acho que a Júlia viu bem, dado o aspecto acriançado dos três vigiados.
Bjinho

JuliaML disse...

Têzinha do meu coração, não me diga que não há proletárias lindas e rigorosamente sensuais, não precisamos ir a Hollywood. :-))
Eu não lhe acho piada nenhuma.

Paulo,nem me fale no Astaire. Não consigo gostar do homem, parece um porteiro aos saltos.

beijinhos aos dois

Capitão-Mor disse...

Uma pertinente escolha cinéfila!
Abraço e bom fim de semana

T disse...

Eu acho a Greta muito bonita e sensual.
O Astaire blergh, estou de acordo consigo.!
Em contrapartida gosto do Melvyn Douglas

O Réprobo disse...

Querida Júlia, eu acho que o Astair, omo actor, foi melhorando com a idade, precisamente quando passou a dançar menos... Já o achei funcional num filme menos bom feito a partir de um dos livros da minha vida, «O Taxi Cor de Malva», o qual, todavia, tem um Noiret de nível e a virtude de uma Charlotte Rampling au naturel.
Beijinho

O Réprobo disse...

Obrigado, Meu Caro Capitão-Mor. Lembro que sobre Ela publiquei um postal devoto em «O Misantropo...».
Abraço, o mesmo para o Meu Prezado Amigo

O Réprobo disse...

Querida T,
o MD também me é simpático, pois conseguia conciliar o perfil de galã sem canastronices que vitimavam outros. Além de numa fase completamente diversa da vida, o lembrar no milionário marido da Shirley em «Bem-Vindo Mr. Chance», recorda-Se?

T disse...

Sim caro dirigista.
O último filme do Sellers salvo erro.
Era uns senhores.
bj

O Réprobo disse...

Eram, pois. Já deixei um lamiré do que peso do filme no «Dias...».
Bjinho

T disse...

Do que pesa?
Risossssssssssss

O Réprobo disse...

Raio de gralha! PENSO! A insustentável leveza do ser não me deixa existir, ao contrário do cogito cartesiano.
Bj.