segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Não Se Derretam!

A língua viperina que por cá andou nos tempos de El-Rei D. João V, Merveilleux de seu nome, descrevia assim a voracidade dos nossos apetites:
Devo advertir os estrangeiros que devem usar de prudência quando recebem qualquer gentileza da parte dos portugueses. Não é conveniente precipitar-se e fazer um convite modesto, porque esta gente acha mal que não se lhe dê um banquete à sua maneira. Se é a estação dos perus devemos servir a cada um o seu peru. Vi muitas vezes um português engolir uma perdiz, um frango, uma galinha, e não deixar de comer todas as iguarias de que a mesa estava repleta...
Portanto, Meus Caros co-rivais de Obelix, atravessando o período áureo da deglutição peruesca, o meu conselho para a Consoada é simples: não consumam delícias que evidentemente Vos consomem, seja na quantidade ou na espécie. Como o boneco de neve que não olhou para o presságio que o nome comportava..

2 comentários:

Rudolfo Moreira disse...

Esta foi a parte que correu bem. Estou a abarrotar de fatias paridas.

O Réprobo disse...

Ah! Cá por casa eram chamadas fatias douradas. Que saudades de quando a minha Mãe as fazia!
Araço