sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Pan!

Não estou aos tiros como o rapaz do Nebraska, apesar da situação o merecer. Nem a referir-me a divindades sátiras. Muito menos a reportar-me ao partido que governa o México, embora reconheça nele uma voz menos prejudicial para a América Latina do que algumas outras. Foi somente a rolha do Champagne a saltar, festejando o regresso do Je Maintiendrai e tentando que alguma das respectivas emanações escape à rejeição do Seu atentíssimo crivo...

8 comentários:

Diogo disse...

Tão sofisticado, meu bem réprobo. Para além do requinte, sobra alguma coisa?

O Réprobo disse...

Meu Caro Diogo,
não sei, nem todos conseguimos tirar das coisas o que está ao alcance doutros. É provar uma taça...

Je maintiendrai disse...

Salve!
Já fechei o olho a essas cabrochas lá de baixo, mas isto não dura sempre...
Lá pelo refúgio creio poder dar por honrada uma promessa antiga a V.Senhoria, não?

Diogo disse...

A taça parece meio vazia. Será de mim?

Luar disse...

Amigo, a mim basta-me o champagne!!! Muito por favor...

e lá está ele com o apelido... o apelido é: BATATA

O Réprobo disse...

Meu Caro Je Maintiendrai, temo que o generoso fechar de olhos seja por elas interpretado como uma piscadela...
Muito obrigado, vou de imediato ver.
Abraço

O Réprobo disse...

Caro Diogo,
não tenho o costume de olhar para o que os convidados beberam. Mas há mais na garrafa.
Help yourself...

O Réprobo disse...

Querida Luar,
este blogger é um intrometido...
Partilhemos pois o Champagne: para a Minha Amiga, os brindes no sentido de votos de prosperidades. Para a parte masculina, também no sentido das ricas prendas acopuladas.
Beijinho