domingo, 2 de dezembro de 2007

Lisboa Fantasiada

Leitura do delírio de um Homem culto fascinado com o Progresso, por isso, mesmo involuntariamente, hilariante: calcule-se que defende, muito a sério, que na Baixa Pombalina se erguessem arranha-céus, por ser o sítio da capital onde eles fazem falta... que queria esburacar as sete colinas de Lisboa, criando grandes túneis em concorrência com os do Metropolitano então apenas pensado, rodoviários e pedonais, juncados de lojas de luxo, sublinhando a grande vantagem que ofereceriam... como abrigos contra os bombardeamentos nucleares.
Mais, passadiço igual ao de Santa Justa para ligar ao extremo da Rua dos Fanqueiros; a opção por passagens para a Outra Banda, subterrâneas por um País tão pobre não se poder dar ao luxo de construir uma ponte, que fizessem de Almada e demais povoações da Margem Sul bairros de Lisboa! Diz, a propósito, que era a única maneira de desenvolver essas atrasadíssimas paragens, o que deve ter inspirado o Ministro Lino. Só que Ferreira D´Almeida dava a peregrina concepção como pretexto para construir, enquanto o actual responsável o faz para se abster.
Mais interessante, o sonho com uma Capital em que o afluente Valverde não tivesse sido arrasado, o que daria um Rossio cheio de pontes, como Paris.
E lutas importantes contra algo que nem consigo imaginar, a câmara de gás no nosso Portugal: no sentido de que não mais máquinas a vapor percorressem os sete minutos do túnel ferrovoário do Rossio, com o prejuízo inerente para a saúde e comodidade dos passageiros.
Vale a pena ler, é uma Metrópole de outro Mundo.




O Autor por António Carneiro

8 comentários:

Bic Laranja disse...

A pior que isso havemos de lá chegar, não duvide. Cumpts.

O Réprobo disse...

Meu Caro Bic Laranja,
conhece o livro? Salivo só de pensar nas maravilhas que o Meu estimado Amigo poderia fazer a partir dele...
E, infelizmente, o quadro é pouquíssimo animador, tem toda a razão, com a agravante de não se dever a degradação a que assistimos a ideais, ainda que miméticos, mas a seduções e transigências mais vis.
Abraço

Bic Laranja disse...

Não. Não conheço.
Cumpts.

O Réprobo disse...

Meu Caro Bic Laranja, vale mesmo a pena deitar uma olhadela a este devaneio. É o tipo de material que jogaria bem como contraposição à Sua benemérita recuperação do Passado, Lá no Blogo.
Deito-me a pensar se o Autor será o mesmo que foi por mim referido em:
parafrasefacil.blogspot.com/2007/03/filhos-e-enteados.html
Ou se estamos perante caso de homonímia.
Abraço

RAA disse...

Para ser retratado pelo António Carneiro, devia ser um homem do Norte...
Ab.

O Réprobo disse...

Talvez, Meu Caro RAA, mas tenho António Sardinha pela mão dele. E Esse nasceu em Monforte...
Abraço

Bic Laranja disse...

Olhe que é bem possível ser o mesmo. Mas tem que se ver. Cumpts.

O Réprobo disse...

Meu Caro Bic Laranja,
vou ver se desencanto uma bio-bibliografia.
Abraço