sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Genalogia da Póvoa

Povoa de Varzim, gravura Pedroto 1868

Já que temos Duas Ilustres Visitas Poveiras, Uma de raiz, Outra de adopção, gostava de saber se consideram essa terra tão irmanada ao meu Estoril pela celebridade da histórica posse de paredão e casino, além da condição de estância balnear apetecível, como tendo ido buscar o nome ao Cônsul romano Caio Varizimo, seu mítico edificador, ou mera corruptela de Varzinha, o que também muito boa gente defende. E, já agora, se a designação que ainda persistia ao tempo de D. Dinis, Varezim de Jusão, não tinha outro sal...
Beijinhos a Ambas

16 comentários:

cristina ribeiro disse...

Bem,para começo da história,a gravura é lindíssima.
Quanto à História,propriamente,a T estará muito mais habilitada para dela nos falar,que uma mera visita de Fim de Verão,ainda que o tivesse sido durante uns anos,e sempre durante todo o mês de Setembro.
Foi uma época de muito brincar,algumas leituras infantis,mas sem quaisquer preocupações sobre a etimologia do nome da cidade,numa época em que ainda gostava de "fazer"praia.
Nessa altura,ainda ficávamos em casa arrendada,que ficava reservada de um ano para o outro,e os dias que antecediam a nossa ida eram de uma azáfama que hoje nos faz sorrir:levávamos tudo,desde os pratos até à roupa da cama...;hoje,com casa própria,na vizinha A-Ver-o-Mar,com tudo à nossa espera,sem termos que levar um garfo,já não tem o mesmo encanto...
Beijo

T disse...

Eu saí de lá aos 8 anos, Cristina. O meu pai era notário e volta e meia a família ia a reboque pelo país fora. Mas tenho as melhores recordações da Póvoa e fui lá muito feliz. Também as guardo Esposende, casa da avó materna.
A gravura é da Occidente? Quando chegar a casa vou ver se encontro algumas poveirices. Quanto à geminação, óptimo:)
Beijinhos aos dois

cristina ribeiro disse...

Só conheço o Estoril de passagem,mas pelo que o Paulo conta,corroborado pela T,vejo que há coisas que as irmana.
Beijinhos

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
bom, mas tendo hoje popriedade no local, há que tomar posição!
Beijo

O Réprobo disse...

Querida T,
tirei-a da net, dada como estando no «Arquivo Pitoresco», Vol. XI. Com tanta sintonia, bem que calhava...
Beijinho

O Réprobo disse...

Claro, Cristina, que o Estoril já foi Estoril. Mas talvez ainda não envergonhe a "mana" que lhe enconrei no Norte.
Bj.

cristina ribeiro disse...

A Póvoa também já se descaracterizou um bom bocado,ainda que permaneçam vestígios bem visíveis daquela povoação de pescadores.
Hoje prefiro-lhe A-Ver-o-Mar,que se manteve mais típica(com excepção dos meses de Julho e Agosto,quando fica superpovoada)No Outono,principalmente,tem uma grande beleza,e é tudo muito mais calmo.
Beijo

O Réprobo disse...

É o mesmo por todo o lado, Cristina: os veraneantes tornam qualquer paraíso insuportável. Neste Agosto nem tirei a assinatura de transpores públicos, para não me enjoar com o cheiro de óleos & cremes.
Beijo

cristina ribeiro disse...

P.S.Mas agora fiquei curiosa,e,partindo dos dados que aqui deixou,vou tentar informar-me.

O Réprobo disse...

Força! Estou curiosíssimo para conhecer a opção.
Beijo

Cristina Ribeiro disse...

Paulo,
acabo de dar o primeiro passo para proceder a uma pequena investigação á volta do nome da Póvoa:perguntei ao meu pai se tinha alguma monografia da povoação,e ele mostrou-me umas dez obras;claro que me senti perdida e trouxe duas,que me pareceram poderem conter alguma coisa pertinente:"A Póvoa de Varzim-ensaio da história desta vila",de Viriato Barbosa(1941),e"A Póvoa Linda-Lendas e Tradições Regionais",de Cândido Landolt(1914).Vou procurar.
Beijo

Cristina Ribeiro disse...

E começo pelo fim do livro de Candido (sem acento)Landolt:
"A Póvoa de Varzim tam cheia de belezas
É um caravançará,gentil,abençoado:
A primeira,talvez,das praias portuguêsas,
O mais lindo jardim à beira-mar plantado!
(sic)

O Réprobo disse...

Estou absolutamente esmagado, digo esmigalhado.
Beijo

cristina ribeiro disse...

Olá Paulo!
Volto aqui só para lhe dizer que estou fascinada com o livro de Viriato Barbosa!Ainda só li algumas poucas páginas,mas já me remeteu para muitas outras fontes(uma delas é"As Póvoas Marítimas do Norte de Portugal",do Vimaranense Alberto Sampaio,que já "requisitei"ali ao lado,na Biblioteca Paterna).
O outro livro,de Candido Landolt,volume pequeno,pouco adiantou sobre a genealogia da cidade,dedicando-se mais a glorificar as belezas da sua vila.
Beijo

cristina ribeiro disse...

O investigador,no que é corroborado por historiadores,como Alberto Sampaio,começa por assinalar a existência,no local "da actual vila da Póvoa(...)de um «prédio-rústico»,lusitano-romano,chamado«Euracini»"e propõe-se"interpretar a série sucessiva de fenómenos linguísticos que se operaram na palavra«Euracini»,até chegar à forma Varzim",o que faz ,de seguida.
"Essa«Villa»,criada junto do mar,teria certamente como principal comércio a produção do sal"e terá recebido "o nome do «senhor»do prédio rústico,algum prócere romano da vizinha «cividade»de Terroso".

Quando,em 1308,D.Dinis lhe concede o Foral,ainda tem o nome de «Varazim de Jusaão»,porquanto a povoação se situava"a juzante,isto é,a baixo,junto do mar".
Beijo


(Paulo,não me pode dar uma pista,onde encontrar informação sobre Caio Varizimo?Não consegui saber nada dele)

O Réprobo disse...

Cristina,
A informação de que o nome derivaria daí, segundo alguns, fui buscá-la a um «Arquivo Nacional» antigo, o Nº246, onde Rocha Martins adianta sucintamente a hipótese explicativa.
Beijo