quarta-feira, 1 de agosto de 2007

A Preciosidade Irredutível

Quando surge a notícia do lançamento da Semana Mundial da Amamentação não posso deixar de publicar uma impressionante fotografia, que vem desmentir a ideia propalada de que o cuidado com os animais é resultante de sociedades já içadas a um certo patamar de satisfação material, procurando compensar com o alívio da regulamentação e oferta de bem-estar a alguns bichos a crise de outro tipo de valores espirituais e os atentados que promove contra a indefesa sobrevivência de tantos outros seres.
É na extrema carência que se pôde encontrar este paroxismo da comunhão e do respeito, promovendo o pequeno quadrúpede de mera mascote a membro de pleno direito do grupo familiar. Lição a apreender por tanta gente que, podendo fazê-lo naturalmente, se refugia na comodidade das aleitações substitutas e da consideração de companheiros vivos como um brinquedo mais.

10 comentários:

Je maintiendrai disse...

Muito impressionante e muito tocante. Mas o caro Confrade desculpará, habituou-nos a outras piquenas. Para desgraças basta viver em Portugal...

O Réprobo disse...

Tem toda a Razão o Caríssimo JM, mas esta é de outro departamento, já se sabe. Não quis estragar começos de férias, porém fazer parar dois minutinhos para pensar não fará grande mal.
Abraço amigo

cristina ribeiro disse...

Caro Paulo,
perante esta imagem tenho de dizer,como Je Maintiendrai,"impressionante e muito tocante",e logo me vêm à memória tantos casos em que é uma fêmea animal quem amamenta uma criança;ultrapassa-nos,de tão misterioso este amor,este instinto de entreajuda.
E lembro-me também das provas de afecto que os mesmos animais têm para connosco-não é raro comover-me com o carinho que o meu gato demonstra.
Beijo

T disse...

Acho o acto de amamentar muito belo. Nem tenho palavras para o descrever, amor e pertença absoluta só, bj

O Réprobo disse...

É verdade, Cristina, vou pelo mesmo com os meus, quanto a comoção. E, para além da loba de Rómulo e Remo, há realmente casos fascinantes de nutrição mamária transcendendo as espécies, com realce para os casos que beneficiam os humanos. Altura para se pensar um pouco na reciprocidade possível, não apenas a literal, retratada, mas, de igual forma, a geral, de abstenção de desumanidade no trato da bicharada.
Beijo

O Réprobo disse...

Querida T,
é-o, sem dúvida. Até num corpo desprovido de beleza pela desnutrição e pela indigência o Estético faz coro com o maravilhamento Ético do acto.
Beijo

T disse...

Não é ético quanto a mim. É completude.
Bj

O Réprobo disse...

Uma coisa exclui a outra?
Bj.

T disse...

Por vezes sim. Bj.

O Réprobo disse...

Gostava de ver aplicação ao caso, o desenvolvimento parece-me matéria interessante.
Beijinho