sexta-feira, 4 de julho de 2008

Excepção

Não gosto de segundas oportunidades, mas esta regra, para o ser, segundo a outra, a do adágio, a propísito do Condestável encontra a sua excepção. O reconhecimento da Santidade aí vem, ultrapassando o falhanço inglório dos Anos Quarenta. Mas não é só, ontem mesmo adquiri um exemplar desta importante brochura que tivera já e, que, emprestada, nunca voltou. Com vantagem agora a substituí, pois vem dedicada e autografada pelo próprio Autor. Augusto Casimiro, combatente meritório, a propósito de outra homenagem fracassada, a do célebre monumento do alto do Parque Eduardo VII, defendia que a estátua imortalizasse um Guerreiro Apeado, relegando para consagrações secundárias as vertentes de Cavaleiro e de Frade. Não repugna a quem, como este pobre réprobo, fez a instrução militar numa Infantaria que o tornou menos mau homem, que a Arma a que nos devemos viesse a ser a inspiração escolhida da postura. Tanto mais que, com a decisão eclesial agora tornada pública, o reconhecimento do valor religioso vem de forma mais ribombante do que a pedra.
Não há duas sem três, dizem. D. Nuno Álvares Pereira deu o nome ao movimento aglutinador anti-jacobino, que se quis Cruzada Dele e nos livrou dos desmandos da I República. Possa este reforço sobrenatural do Seu prestígio enformar a libertação da opressiva predominância da mediocridade insensível da República de Terceira em que nos atolamos. Outra segunda oportunidade de que não desdenho. Casimiro escreveu que o Herói salvou o País em obediência ao Futuro. Eminentemente invocável, depois de atestada a Sua miraculosa capacidade, será demais pedir-Lhe que nos inspire, pela mesma via, para evitarmos a perdição?

6 comentários:

Cristina Ribeiro disse...

Este é um dos heróis portugueses que mais me tocam.; não valorizei muito o concurso dos Grandes Portugueses, mas, mesmo assim, achei que foi uma ingratidão sem nome não o terem contemplado.
Beijo

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
sem dúvida que poderia transmitir a base consendual que faz a Unidade, na optimista hipótese de pensarmos as pessoas como ainda se lembrando Dele...
Beijinho

Cristina Ribeiro disse...

P.S. Enviei-lhe um email...

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
vou ver, obrigado.
Beijinho

Júlia Moura Lopes disse...

Querido Paulo, eu gostei muito de ler sobre o processo a adiantado de canonização. Faz parte das minhas predilecções, desde a infancia.

MAs fiquei estupefacta, pela morosidade d omesmo...é tempo demais...

O Réprobo disse...

Que quer, Julita? A Igreja prefere pecar por excesso do que por defeito nas verificações. Santo António é que foi um dos recordistas, pouco mais de um ano, creio.
Beijinho