quinta-feira, 3 de julho de 2008

Golpe de Misericórdia

Cada vez tenho mais simpatia pelo Presidente Uribe, da Colômbia, mesmo com a prevenção de que outros políticos sul-americanos impressionaram bem, antes de se revelarem desmotivadoramente cúpidos. A insistência em tratar os terroristas com intransigência pagou, graças à libertação espectacular da célebre Ingrid Betancourt, o que mostra uma vez mais quanto errou o Sr. Zapatero em ter acreditado em conversas-moles com etarras. O facto tem outra importância, corta as vazas ao Coroné Chávez, no que toque a surgir como mediador; e talvez dificulte o envio de uma delegação das FARC à próxima Festa do Avante, pois tendo sido infiltrada pelos serviços de inteligência de Bogotá, não é crível que o nosso PCP se sinta muito à vontade com a perspectiva de abrigar no emblemático convívio espiões a soldo do Capitalismo, como se sabe coisa muito pior do que raptores e assassinos que florescem graças ao narcotráfico...

4 comentários:

filomeno2006 disse...

Curiosamente, ahora Zp, se "cuelga la medalla" de que ha colaborado estrechamente con el Dr. Uribe en la liberación de los secuestrados.......Pero Obama va a realizar una gira europea, "pasando olímpicamente" de largo de España........
Ab.

O Réprobo disse...

Meu Caro Filomeno,
a ser verdade aquilo de que se gaba o Presidente, e fosse outro a ocupar o cargo, diria que "santos de casa não fazem milagres". Mas custa-me, mesmo por brincadeira, admitir uma pseudo-canonização de tão grande pecador...

Obama, firmados que estão os créditos em matéria de Guerra no Iraque, está agora apostado no recentramento a que corresponde a maleabilização de posições nessa questão. Muita amizada com Zp dar-lhe-ia imagem pouquísstmo ductil.
Abraço

filomeno2006 disse...

Amigo Réprobo: el no levantarse al paso de la Bandera de las Barras y Estrellas en el Desfile de 12 de Octubre de 2.003 le sigue "pasándo factura" al político leonés........
Ab.

O Réprobo disse...

Meu Caro Filomeno,
com efeito, os Norte-Americanos são muito sisceptíveis a atitudes incorrectas para coma a bandeira. Pensando num paralelo português, nunca teriam eleito para chefe da Administração alguém com fama de ter ofendido o pavilhão nacional.
Será que foi isso?
Abraço