segunda-feira, 7 de julho de 2008

Fralda de Fora

Tirado Daquisobre isto, não tenho nada contra, desde que ambos gostem, só recomendando a vantagem de se ir dando a conhecer totalmente em fases embrionárias do processo, para não criar surpresas desagradáveis.
Mas alguém tem a caridade de me explicar como pode o uso de fraldas dar prazer sexual? A minha inocência não consegue perceber.

22 comentários:

mike disse...

A sua inocência e a minha, Caro Réprobo...

Once disse...

sobre o primeiro parágrafo é essa a minha própria filosofia, se é que esta vertente se aplica aos relacionamentos .. quanto à pergunta Caro Paulo abstenho-me de comentar o que me passa pela cabeça ..

fugidia disse...

(risos)
e eu pela minha...
:-)

ana v. disse...

Há uma fronteira entre o fétiche e a aberração, e nem sempre é fácil de determinar onde pôr essa linha. Para mim, esta das fraldas já ultrapassou o limite do aceitável. Não sou psicóloga mas isto cheira-me a pedofilia, coisa que me ultrapassa e me repugna mais do que tudo o resto.

O Réprobo disse...

É uma coisa incompreensível, Caro Mike.
Abraço

O Réprobo disse...

Oh, Querida Once, quer deixar os ignaros no estado de brutos?
Beijinho

O Réprobo disse...

Mas, Dona Fugidia, não era altura de explicar os factos da vida a um amigo que, embora sem prazer, pelos vistos, anda de fraldas nesta sugestiva matéria?
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Ana,
nem tinha entrado por aí, embora, bem vistas as coisas, também me seja difícil entender estas satisfações retiradas de corpos em formação. Penso que isto se referirá a marmanjões enfraldiscados. Mas já mem digo nada e sirvo de megafone à Sua repulsa.
Beijinho

ana v. disse...

A propósito de marmanjões enfraldiscados, existe nos EUA um "clube" para executivos, que pagam um balúrdio para serem tratados como... bebés. Têm fraldas, chuchas, toucas na cabeça, biberons, e são deitados em berços gigantes (ao tamanho deles, claro) onde passam o dia a dormir e a beber (não sei o quê, mas suponho que seja leite). Terapia anti-stress, dizem eles... se me dessem esse tratamento, eu acho que saía dali directamente para a linha do combóio... há gente para tudo!

fugidia disse...

(risos)
=)

Júlia Moura Lopes disse...

tarados ..e só gostam do que é feio. eu vomitava-lhe se apanhasse um homem com esses fetiches

O Réprobo disse...

Oooops, Querida Ana, o leite é-lhes ministrado por biberão, ou por meios... naturais? É que, neste caso, começa a fazer-se luz!

Conhece a Hostória das Amas do Cardeal (D. Henrique)?
Beijinho

O Réprobo disse...

Daqui também, Fugi.
Bjs.

O Réprobo disse...

Querida Júlia,
de facto, nem todos podem ter o gosto esmeradíssimo orientado para femininos pés, de botas de salto revestidos...
Beijinho

ana v. disse...

Júlia... mais directa do que tu é impossível!! LOLOL

Não Paulo, acho que não conheço. Conte lá... e deixe-se de luzes repentinas...

Luísa disse...

Essa história do Cardeal D. Henrique foi-me explicada como prescrição dos médicos da época para o tratamento das condições de saúde muito débeis do paciente, já velhinho. Apesar da originalidade do tratamento, não haveria, suponho, motivos inconfessáveis… Não havia, pois não, meu caro Réprobo? :-)

O Réprobo disse...

Querida Ana, não gosto de permanecer no escuro, que quer?
O Cardeal-Rei foi alimentado já em provecta idade, por amas, como se de bebé se tratasse, ainda havendo em Évora rua que as homenageia.
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Luísa,
a prescrição da dieta foi-me contada como apenas obrigando a consumo exclusivo de leite. O facto de ele ser humano dever-se-ia ao gosto cardinalício, que lhe preferia o sabor ao de outros animais. Concedo que não haveria libidinosas motivações, mas o mesmo se não poderá admitir dos fraldiscas referenciados.
Beijinho

Júlia Moura Lopes disse...

eu ri foi "o marmanjões esfraldicados" , apetece mesmo chamar-lhes nomes muita feios.

Babões!..

isso até é anti-sexual, acho.

O Réprobo disse...

Eu também, Querida Júlia, essa perspectiva, a mim, cortaria muito mais depressa apetências do que as estimularia.

E sim, concordo que o Capitão Haddock faria um servição, despejando neles parte do léxico de insultos.
Beijinho

ana v. disse...

Hummm... Paulo, se me disser a idade que tinham as amas do Cardeal e quem as escolheu, eu digo-lhe se acredito nessa história da prescrição médica! É sabido como o clero sempre teve muita imaginação para contornar as proibições...
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Ana,
como já disse, creio que a prescrição se cingia a "leite" no estrito terreno nutricionista. O significado mais amplo, de "sorte", ter-lhe-á sido conferido pelo próprio Príncipe da Igreja.
Beijinho