segunda-feira, 14 de julho de 2008

A Mãe de Todas as Patranhas

Que os Comunistas queiram fazer das raptoras, assassinas e narco-traficantes FARCs coisa potável, não admira, inventar opressões faz parte do próprio dogma, desde a instilação da consciência de classe como mecanismo de correcção da objectivação marxista da opressão. Agora que façam de megafone a um escrevinhador que quase defende o rapto, por achar que Ingrid Betancourt não quis ser suficientemente mãe é que me deixa de boca aberta. Então que defenderão para as abortistas? A fogueira? Olhando para esta Maternidade, da colecção de Tom MacMahon, apeteceu-me soltar uma interjeição que envolvesse caneco!

18 comentários:

Once disse...

é o mundo em que vivemos Amigo Paulo .. tudo se deturpa para fazer valer alguns disparates que quando devidamente espalhados passam a "lei" .. contudo, e pelas ultimas noticias que ouvi de uma determinada "aliança", há quem vá ter de engolir sapos .. e dos gordos.

marilia disse...

todos que querem tomar o poder começam logo por espalhar a "sua" verdade...
por isso tenho por cá muito medo dos ismos todos...

abç, querido

Cristina Ribeiro disse...

E o mais surpreendente é que são muitos ainda os que aplaudem.
Beijo, Paulo

mike disse...

Vindo de onde vem, já nada me espanta, Caro Réprobo.

O Réprobo disse...

Querida Once,
mas é um certo autismo que nem vejo propagandisticamente eficaz esta desmontagem pseudo-psicológoca do carácter da vítima para justifcar a acção dos sequestradores dela. O primarismo tem limites.
Beijinho

O Réprobo disse...

Somos dois, Querida Marília. Está a ver um comissário político de qualquer partido a avaliar se os cuidados maternos de uma determinada Mulher, sem qualquer situação incriminada de abandono, são ou não suficientes para a manter cativa?
Beijinho

O Réprobo disse...

É a cor que cega, Querida Cristina, tudo o que se oponha a um partido revolucionário é para abater e os adeptos aplaudem, porque se trata dos outros.
Beijo

O Réprobo disse...

Meu Caro Mike,
mas antigamente ainda havia a contenção de diabolizar apenas pela pertença a uma classe. Entrar por detracç~pes ainda por cima revéis do papel público que, da boca para fora, defendem para a Mulher é um passo mais na decadência do discurso incoerente.
Abraço

Júlia Moura Lopes disse...

apregoam eles a liberdade !!!

fugidia disse...

Mas Rép., os extremos... tocam-se...
;-)

O Réprobo disse...

Pois, Querida Júlia,
o rapto e aprisionamento de outros são uma liberdade... deles.
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
mas que conceito geométrico tão estranho!
Poderá ser certeiro para opções enroladas, a que chamo o complexo de pescadinha de rabo na boca. Mas para quem opte por vias Rectas, os extremos são infinitamente afastados um do outro, jamais se encontrando.
Beijinho

fugidia disse...

É estranho, de facto, mas o que observo é que há mais muito mais em comum do que poderia julgar-se (e desejar-se), nas posições extremadas, designadamente no espectro político.
:-)

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
é natural que se encontre convergência na recusa da mediocridade do Centrão, mas quer os presupostos quer as alternativas não permitem essa misturada.
Beijinho

Atrida disse...

E não serás tu também um reaça agente do imperialismo ianque e seu fiel serventuário? :-)
Abraço.

O Réprobo disse...

Claro. Meu Caro Átrida, afinal aprovei publicamente a operação libertadora dos reféns; queres maior prova?
Maldita cocaína!
Abraço

Nuno Castelo-Branco disse...

Qual é a surpresa? Já viu bem a galeria de heróis que essa gente tem?

O Réprobo disse...

Abaixo de Che, Caro Nuno, abaixo de Che.
Abraço