domingo, 29 de julho de 2007

As Rosas e os Espinhos

A Árvore dos Espinhos de Graham Sutherland
A época das Rosas, mesmo com as alterações climatéricas do aquecimento global, ainda não chegou: prometidas foram as flores mas ainda estamos, como noutros inícios de temporada, na altura dos espinhos. De que valeu tanto planeamento e pretensa definição atempada das necessidades do plantel, se os reforços continuam a chegar a conta-gotas, com as derradeiras a caírem no princípio das Ligas?
Hoje, para lá de se ver algo mais do Cardozão, que, além de ter força e tamanho, sabe mover-se e luta muito, continuou a mania do treinador de sobrepovoar o centro do campo. Assis, Manuel Fernandes, Katsouranis e Petit atropelavam-se uns aos outros. E para disfarçar a ausência de alas toca a mandar o pobre do Bergessio para um ou outro dos flancos, acabando por não render em nenhum, quando deveria jogar nas costas do grande Paraguaio...
No resto, seria bom que ele soubesse que queremos ver mais Dabao e que ensinasse a Nelson para que baliza deve fazer bons passes e centros...
*
Não se pode, no entanto dizer mal de Santos. Onde outros iriam tentar o Vodu, ele fica-se pelo recurso ao Adu!
*
Agora é que são Elas: vivendo as alegrias benfiquistas de mais uma vitória da Vanessa Fernandes, é anunciado que passará a representar a Águia a Grande Judoca Telma Monteiro. Espera-se que a aquisição venha a imobilizar muito adversário do SLB.

2 comentários:

a voz disse...

Três médios defensivos! Para quê?
E Dabao é um "novo" João Coimbra.

Cumprimentos.
Mário

O Réprobo disse...

Ai, Mário, temo que tenha razão no segundo ponto, estou certo de que a tem no primeiro: nem jogaram, nem deixaram jogar; mas não me refiro ao adversário, caso em que poderiam ter cumprido a função a que estavam destinados. O problema é que se anularam uns aos outros.
Abraço