quinta-feira, 26 de julho de 2007

A Tentação de Resistir

O «Simão do Deserto» de Buñuel, lutando e cedendo ao Diabo, como o homónimo capitão do Benfica. Só que o Instigador, em vez das apetitosas formas femininas de Silvia Pinal, tomou as da bolsa a abarrotar do Atlético de Madrid.
Nota de esperança: Fábio Coentrão poderá tornar obsoleta a saudade.

11 comentários:

João Távora disse...

Uma obscenidade que termina tarde. Uma manhã que começa bem. :-) Abraço,

cristina ribeiro disse...

Nem sequer imagino que isso tenha sido determinante,mas não será de pôr totalmente de parte o facto de não ter gostado de se ver de rosa...
(o Paulo já deve estar a pensar:irra!que esta história não nos larga :) :) )
Beijo

çamorano disse...

El gran Don Luis se dió cuenta que los herederos yankees de la Perfidísima simbolizaban en la actualidad el Mundo, mundanidad nocturna dominada por músicos estrafalarios como los Escarabajos y las Piedras Rodantes (Alias, "Sus Satánicas Majestades"). Por cierto, Silvia Pinal, una de las tres mejores "delanteras" cinematograficas mejicanas, junto con Fanny Cano e Isela Vega. Ab.

O Réprobo disse...

Meu Caro João,
apesar da contínua abordagem da Religião por Buñuel, de um ponto de vista que visa afrontar, sempre lhe admirei a obra, talvez por a crer a mais feliz expressão de manipulações de referências que o Surrealismo se propôs. Não sendo este o filme que dele mais gosto, entendo, contudo, que uma leitura aberta lhe permitirá encontrar elementos preciosos de blindagem contra os cantos de sereia que o Çamorano bem refere, dois anátemas a seguir.
O resto é um Sportinguista cheio de esperanças. No próximo post direi em que, espero, elas poderão naufragar.
Abraço

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
popis se fui eu o primeiro, nesta Roda de amigos, a postar contra a "colorização", como se diz da alteração cromática dos filmes a preto e branco...
Prosseguindo nestes daltonismos eventuais, julgo que o que emerge desta história não é o tom rosado, mas o ouro...
Beijo

O Réprobo disse...

Meu Caro Çamorano,
é isso mesmo e, desse ponto de vista, um precioso aliado do... Tradicionalismo Europeu de extracção Católica!!!!
Silvia Pinal vai tão bem que me fez finalmente perceber por que razão tinha o Diabo tanta saída. O mito Fáustico, até aí, sempre me deixara perplexo: porquê vender-se a troco de dinheiro? Para enriquecer as farmácias com as aspirinas cuja compra seria forçada pela dores de cabeça resultantes da riqueza?
E de poder? Como diria a Bomba Charlotte, uaaaaac!
Agora, aquela Silvia far-me-ia titubear, não tem dúvida.
Abraço

çamorano disse...

El fuego prueba al hierro, y la tentación, al hombre justo........

çamorano disse...

Me imagino un conversación entre Monseñor Escrivá de Balaguer y Don Luis Buñuel (Dos "Maños") y doy por seguro que llegan a un acuerdo. Buñuel intentaba disfrazar su secreta admiración hacia la Iglesia Católica, pero no podía. En ciertos pasajes de las películas de Buñuel- como el tan acertado extraído por el Sr. Réprobo sobre las tentación de Simón- palpita con más fuerza la Fe Católica que en las "artificiosas recreaciones" del australiano Mel Gibson. Las "sílabas inglesas" estarán bien para el Rock and Roll (¡Ouh Yeah!), pero ya sabemos lo que dijo Carlos V que era lo apropiado para hablar con Dios..........Ab.

marta disse...

Meu Querido Paulo


Bem sei que é do Seu Benfica que está a falar, mas digamos que é um

EXAGERO!!! comparar qualquer oficial do Seu clube com qualquer obra, por menor que possa ser, de
Buñuel

beijinho

e antes começe a levar com ovos, tomates e outros, saio já de fininho

O Réprobo disse...

Meu Caro Çamorano,
há entrevista em que o grande L. B. reconhece essa ambiguidade. Vou ver se encontro. Quanto à legendagem, fui condicionado pelas existências do YouTube...
Abraço

O Réprobo disse...

Querida Marta,
mas que grande risco que está a correr! Penso que, não fora os Benfiquistas serem gente ordeira, ter-se-ia de destacar escolta policial. Pode até dizer isso deste, porque se foi. Poupe é os que ficaram, pelo menos até começarem a asneirar...
Beijinho