quarta-feira, 25 de julho de 2007

Cada Macaco em Seu Galho

O público brasileiro, espelhando o português, como se recordarão da vergonhosa circunstância da organização de um Campeonato Internacional em Pista Coberta, não entrou na essência do Atletismo, ao contrário dos povos germânicos, mas, igualmente, dos eslavos e do prestigioso duo greco-italiano. Trata-se de um desporto de resultado, em que o que interessa é a superação, sendo a vitória da preferência competitiva uma gratificação adicional. Daí que espectadores evoluídos aplaudam e incitem todos os atletas, ao contrário deste par lusófono que vaia os que concorrem com os seus, embaraçando os próprios representantes.
Noutro plano, sabe-se o fiasco que atinge um espectáculo quando alguém vocacionado para ver actua no palco. Foi o célebre caso da estreia de «O Barbeiro de Sevilha, em que um gatito entrou em cena e, insistindo em passear-se pelo tablado, arrancou gargalhada de meia-noite à audiência.
O que, na preocupação social de ordenamento que sempre me motivou, faz com que Vos submeta esta idealização do camarote, a elite da assistência.

16 comentários:

Cristina Ribeiro disse...

É mesmo:"cada macaco em seu galho"!
Peço mil perdões!A minha maldita impulsividade,de que já me penitenciei várias vezes.
Apague tudo.
Beijo

Inês Ramos disse...

Gostámos muito desta foto e dessa história deliciosa do gatinho na ópera.
Visite-nos sempre que quiser. A casa é sua!
Inês e Alexandra

O Réprobo disse...

Querida Ceistina,
"Macaco" não se aplica a Quem, escrevendo, salva os posts cá deixados pelo Orangotango de serviço...
Beijinho

O Réprobo disse...

Queridas Inês e Alexandra,
Encantado por Vos ter agradado.
Não tem dúvida, sou cliente habitual!
Beijinhos

O Réprobo disse...

Mil perdões pela digitação, CRistina.

cri disse...

Mil vezes obrigada,pela generosidade!

Cristina Ribeiro disse...

O resto do nome fugiu-me :)

çamorano disse...

La señorita Inés Ramos guarda parecido con la señorita Isabel Figueira.

Inês Ramos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Inês Ramos disse...

Pero no soy, estimado caballero!
:-)

çamorano disse...

Doña Inés: hay dos motivos, al menos, para felicitarla: por su belleza y por su dominio de la lengua de Cervantes. Un saludo.

O Réprobo disse...

Cri,
este diminutivo grilesco não deixa de ser delicioso, ehehehehe!
Beijo

O Réprobo disse...

Meu Caro Çamorano,
quem teve o inolvidável gosto de conhecer a Inês, de Seu Vivo, pode corroborar a comparação no que toca à incomensorabilidade da beleza, apesar de os traços não coincidirem tanto como a fotografia sugere.
E a aptidão linguísta foi uma adorável revelação.
Abraço e beijinho à Concernida.

Inês Ramos disse...

Caros amigos Çamorano e Réprobo (P.C.P.):
De Cervantes, gosto sobretudo da poesia.

Procuro na morte a vida,
saúde na enfermidade,
na cadeia a liberdade,
no mui fechado saída
e no traidor lealdade.
Mas minha sorte, de quem
jamais espero algum bem,
com o céu estab’leceu
que, se o impossível peço eu,
nem o possível me dêem

(Tradução de José Bento)

Se me quiserem visitar também aqui, serão ambos bem vindos:http://www.porosidade-eterea.blogspot.com.

Abraços,
aos dois,
Inês

O Réprobo disse...

Vou lá com tdo o gosto, é local de que guardo um pungente conforto, quando o Luís Graça lá publicou uma amiga prova de solidariedade perante uma Perda por mim sofrida.
Beijinhos

çamorano disse...

Allí iremos, y si se ven más fotos de la bellísima Inés, mejor que mejor.......