terça-feira, 24 de julho de 2007

Não Há Fumo Sem Fogo

Se há coisa que me deixa fora de mim é a inimizade entre alvos do meu afecto. Desde há muito que me apoquentava a incompreensão de um grupo de Mulheres de Londres, que, em 1674, publicou uma petição, contra o café, outra das minhas predilecções. Diziam enormidades do género essa infeliz beberragem que torna os homens tão infruthful como se diz que os desertos o fazem, que enfraquece a raça, outrora forte, e que desvia os maridos de casa, fazendo-os parar pelos botequins.
Passaram-se anos em que dei voltas ao miolo tentando encontrar uma razão para tamanho ódio. Fui salvo graças a uma publicidade que ensina: esta marca de café italiana, ao dar-nos a imagem das emanações que do produto resultam, revelou-nos as Senhoras Londrinas Seiscentistas, afinal, como não mais do que uma antecipação das Mães de Bragança...
À T, à Marta e a Portuguesas Outras. É tudo uma questão de orientação, é o que é...

4 comentários:

T disse...

Agora há uma série de teorias anti-café e a favor do chá. Embora goste das duas bebidas, o cheirinho do café acabado de fazer tem qualquer coisa que me faz respirar fundo.
As ditas senhoras deviam saber, que homem obrigado a estar pode tornar-se horrendo de aborrecido. Preferível é, exercer-se a liberdade e o prazer da companhia escolhida. Quer se seja homem ou mulher,
beijinho.

marta disse...

Querido Paulo

é preciso gostar muito de si, para estar a esta hora da madrugada a visitá-lo.

Uma delícia esta publidcidade.

E T

Olha que agora já andam a dizer que o café, até 4 ou 5 chávenas diárias, faz bem ao coração e previne ataques cardíacos.


Beijinhos aos dois

PS: lá pelos meus sítios, só lhe respondo amanhã. Tive de escolher e não resisti vir aqui, mas estou cheiinha de sono.

O Réprobo disse...

Querida T,
eu tabém gosto de chá, mas o café torna-me o conceito de volúpia presente de uma forma patentíssima. Desgraçadamente, sou-lhe muito sensível, logo não posso tomar mais do que um/dois por dia, ou não consigo dormir a noite inteira. E para me permitir o segundo é prciso cortá-lo com uns copitos...
Mas achei fabuosa a dilucidação do fruto proibido publicado no «Dias...»
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Marta,
vou afixar essa condecoração, a distinção de leitiura noctívaga de Tal Amiga. Gratísimo.
Dentro dessa bitola, creio que se deve tomar o número de cafés a que se está habituado, todos os dias. A alteração é que desequilibra a paz do metabolismo.
Beijinho