quinta-feira, 5 de julho de 2007

O 11º Mandamento

Para que se não diga que apenas falo no Governo com o objectivo de desancar, quero congratular-me com a aprovação do diploma de apoio aos Idosos Necessitados. Pouco? Melhor do que nada; e mais, a força de um gesto dirigido a quem mais falta deles tem. Para comemorar, convido-Vos a ouvir uma composição que me comove sempre e a aproveitarmos a Arte, forma prioritária de fugir ao choradinho prosaico em que caem frequentemente as melhores intenções, com o propósito de manter vivo no nosso espírito o imperativo de, com um pouco de ternura, trazermos a felicidade a quem só sobrevive perdido na memória do que foi. Façamo-lo aos nossos Velhos e obteremos o reconhecimento pleno que podemos testemunhar na reacção dos nossos gatos. Na pele dum que acumula ambas as condições, «Memory», de «Cats», servida pelo talento dramático de Elaine Paige.

4 comentários:

T disse...

Tudo o que se fizer pelas pessoas com mais idade é mais que bom. E tão pouco aproveitamos as suas memórias e experiências, tão valiosas que são. Perdemos o hábito do ouvir contar como era dantes e essa lacuna é irremediável.
Beijinho.

Carlos Portugal disse...

«com o propósito de manter vivo no nosso espírito o imperativo de, com um pouco de ternura, trazermos a felicidade a quem só sobrevive perdido na memória do que foi.»

Perfeito, Caríssimo Amigo.

O Réprobo disse...

Querida T,
caímos numa indiferença, se não sentida ao menos resultante, que é triste; e desonra maior para quem omite as observâncias a que estaria obrigado, fosse pelo afecto ou pela decência. Para agravar vidas inteiramente no Passado, que assim se encerram sem interlocutor!
Beijinho

O Réprobo disse...

Obrigado, Caríssimo Carlos. Entendemo-nos bem, sem dúvida.
Abraço