domingo, 8 de julho de 2007

A Vocação do Mito

O Funeral de S. por Fournier

Escreveu versos de valia, mas inferiores a outros da época, entre os quais os dos que o idolatraram. Até estes o reconheceram, ao celebrarem-lhe preferencialente a vida, deixando na sombra a obra. Que foram, então, uma e outra? Um contínuo e breve lampejo, tão cativante como um bater de asas, sem concretização à altura, como Matthew Arnold bem percebeu. As bases do angelismo estavam lançadas, com Trelawney deitando as mãos à chamas para recolher o coração que "insistia" em não arder, nessa cerimónia pagã que tentava endeusá-lo sem ofensa ao ateísmo notório. Nada lhe foi poupado, nem ter uma biografia mauroisiana que se definia pelo nome do barco que haveria de ser o instrumento de morte, na água em que tanto dissera pressentir o fim, sem que, fatalisticamente, tentasse aprender a nadar, para evitá-lo.
Para nós, fora do círculo íntimo, de onde surgirá a fascinção? A meu ver, da incerteza que rodeou essa morte na juventude. Desde logo quanto à causa, que nunca se apurou bem, dentro da tempestade - ataque de piratas, manobra falhada, ou concertação meteorológica e de correntes que provocasse embate nas rochas? Mas muito mais, o leitor de tantos livros finou-se com dois no bolso: Sófocles e Keats. O maior consagrador do Homem na Antiguidade Helénica, sem concesão comparativa ao Transcendente esquiliano, ou ao reducionismo de Eurípides, completado pelo que a seus olhos faltaria, a beleza da expressão íntima da sensibilidade. É esta busca da compreensão total do Humano que, abreviada, faz perdurar o prestígio único ainda hoje, quando o de outros Românticos se desvaneceu.
P. B. Shelley morreu a 8 de Julho de 1822.

4 comentários:

Cristina Ribeiro disse...

Estive na casa que tinha em Roma,mesmo ao lado das escadas da Praça de Espanha.
Beijo

O Réprobo disse...

Também dedicada a Keats. Lá estive e ainda guardo, algures, o bilhete.
Beijo.

Nem vou dormir hoje, porque tenho de pensar nua pergunta cinéfila do Dragão e o emkbaraço da escolha é grande.

Cristina Ribeiro disse...

Ó Paulo,desculpe lá,mas essa da "pergunta cinéfila"não entendi.

O Réprobo disse...

Está no link da última corrente a que respoondi. Mas ando com dificuldade em seleccionar três filmes de que ainda não tenha falado e me apeteça fazê-lo, para asegurar a continuidade.
Beijo