terça-feira, 3 de julho de 2007

Fraqueza das Ideias Feitas

A Visita da Rainha de Sabá por uma pintora quinhentista, Lavinia Fontana

O trágico atentado que fez perecer um grupo de turistas Espanhóis no Iémen relaciona-se com tão grande número de ideias feitas, que não posso alinhar na cumplicidade da redução da indignação ao menor denominador comum que seria cingi-la a desaprovar os autores materiais do acto.
Em primeiro lugar prova o engano zapaterista, o qual pensou ser possível comprar a boa vontade dos radicais islâmicos para com a Espanha, desalinhando-se da coligação ocidental no Iraque, fazendo voltar os militares a casa, a meio do caminho. Seria prémio para os aliados dos terroristas que lhe deram a vitória eleitoral, mas como se verifica, não é seguro de vida para nenhum Compatriota seu, inocente.
Mas toda a postura do Ocidente tem sido uma sucesão de equívocos. desde a má consciência britânica que entregara aos Comunistas o Sul do País e não vê como condenar o regime de Ali Abdallah Salih, proveniente do Norte que extinguiu, através da unificação, esse erro. Passando pelo Vaticano que fecha os olhos a uma constante perseguição dos Cristãos, com condenações à morte de convertidos do Islão à Verdade da Cruz, espancamento de estudiosas da nossa Religião e interdição do casamento de Mulheres nascidas muçulmanas com homens de outras religiões a coroar a tolerância de assassinatos recorrentes.
O regime do actual Presidente é suspeitíssimo das piores duplicidades: que o digam os Sauditas, também eles flores difíceis de cheirar, que o financiaram e viram institucionalizar um fundamentalismo de obediência hostil à sua, num caso menos referido que o dos Taliban afegãos, porém igualmente frustrante.
Mas o Mundo não quer saber. Penso que muito por, no nosso imaginário, estar presente a efabulação da Rainha de Sabá, de que uma das origens mais dignas de fé seria a região iemenita, como símbolo da curiosidade intelectual transformada em "Paixão Total" por Salomão, graças a interpretações exegeticamente contestáveis, porque pouco assentes em literalidade textual.
De modo que quando Adém diz que já sabia ninguém ergue as sobrancelhas e todos ficam muito contentes da vida com o facto de ter sido instituía uma recompensa por informações que respeitem aos terroristas envolvidos. Apesar de feder a cortina de fumo.
O pior é que os assassinados não tinham culpa de tanta cegueira... voluntária. As minhas condolências à Nobilíssima Espanha, que, com outros Governos, já esteve na primeira linha da Cristandade, nos sentidos religioso e continental do termo.

10 comentários:

çamorano disse...

Los yemenitas fueron los principales y primeros impulsores de la religión de Mahoma......a golpe de cimitarra........

Terpsichore E. M. Psyche disse...

Hoje escrevi algo no A Voz, que também lhe diz respeito - por honestidade o digo.
Ma talvez que isso que lá pus eu deva colocar no meu blog um dia destes... Entretanto, vejo, com meu olhar de Cassandra, erros ortográficos no seu texto, desulpe: não é actual Presidente, mas sim atual.
Cumprimentos

çamorano disse...

"Actual" es correcto........

O Réprobo disse...

Caro Çamorano,
pensava em Ti, muito ewspecialmente, ao escrever o post. O pior é que persistem na atitude...
Ah! E "atual" remete para uma polémica intervenção no blogue da Terpsichore...

O Réprobo disse...

A saudade do Além Tejo? Quando cá tornar havemos de combinar com o Mário e fazer um almocinho num restaurante da Bela Província.
Beijinho

çamorano disse...

Amigo Paulo: fui asiduo de la Oficina de Turismo de Portugal cuando se encontraba en la Gran Vía Madrileña, donde recogía folletos turísticos sobre Lusitania Felix......Si me pierdo, que no me busquen en Marruecos ni en ningún país árabe, y menos desde lo que le aconteció a la angelical Inma de Santis en aquellas tierras..........Un abrazo.

O Réprobo disse...

Apesar, Caro Çamorano de ter Amigos para quem o deserto marroquino foi uma referência de viagens de juventude, também não me excita. Conheço três cidades e chegou-me. Desde logo, os hábitos de higiene na conservação dos géneros alimentícios são completamente diversos daqueles a que me habituei...
Abraço

a voz disse...

A data é o Paulo que a marca, o resto é comigo.
Será uma Honra almoçar com tão Ilustres Convivas!

Abraço.
Mário

O Réprobo disse...

Isso terá de ser muito bem combinado, Caro Mário.
Entretanto, a data fica ao critério da Fada das Ilhas.
Abraço apertado

Terpsichore E. M. Psyche disse...

Caro Réprobo e Mário
Agradeço o amável convite e a honra, mas isso é, de várias maneiras, impossível...

Depois, confesso que era a outra postagem que eu me referia, na casa do Mário.


Caro Çamorano
actual non es correcto, y correcto non es correcto - :)
Atualmente, atualmente es correto, y correto es correcto! :)


...ou bem que uma coisa está certa, e, sequiosos desta mudança, comecemo-la já. Ou está errada...e nesse caso também o estará a 1 de Janeiro...? Estou a gracejar... mas fico interessada em saber o que pensa Vossa Excelência, com a extraordinária cultura que demonstra, desta nova obrigação.
É a minha indignação devida a eu ser rebelde, ou compartilha-a comigo a ponto de a achar inaceitável, e que bastava reunir umas centenas de pessoas da sua cultura, para simplesmente podermos negar aceitar este disparate desnecessário?

Cumprimentos, e obrigada mais uma vez.
Terpsichore