domingo, 13 de janeiro de 2008

Contradição Nos Termos

Castelos em Espanha de Alexander HarrisonA versão espanhola da mudança do nome da Ponte Salazar achava-se, até agora, muito claramente sintetizada na eliminação da letra do Hino Nacional que vinha do Regime anterior. Mas ao menos não a tinham substituído por uma falácia. Com as melhores intenções, ou sem elas, é o que as palavras propostas para acompanhar a Marcha Real impingem:
¡Viva España!
Cantemos todos juntos
con distinta voz
y un solo corazón.

¡Viva España!
Desde los verdes valles
al inmenso mar,
un himno de hermandad.

Ama a la Patria
pues sabe abrazar,
bajo su cielo azul,
pueblos en libertad.

Gloria a los hijos
que a la Historia dan
justicia y grandeza
democracia y paz.
Devo dizer que nem me parecia muito mal até ao último verso. Agora, como pode alguém acreditar que coexistam "democracia e paz"? A democracia é a guerra civil em estado latente, disse, com génio, Alfredo Pimenta. Acrescento eu o que muitos outros notaram e os próprios adeptos assumem: a sua essência é o conflito, que os defensores acreditam salutar, desde que contido em certos limites, contestando alguns dos opositores a possibilidade de estabelecer essa represa e outros a própria desejabilidade da tensão, ainda que refreada.
Uma coisa se retira de ambos os lados: oferecer a um tempo a tranquilidade e a luta é a impossibilidade de concretização que dissolve o sentido. Pobre Espanha, a Tua História não merecia destas!

12 comentários:

Anónimo disse...

http://reverentia-lusa.blogspot.com/2008/01/continuar-para-servir-portugal.html

Cristina Ribeiro disse...

Não tinha de ser assim, caríssimo...; é-o porque nós somos assim, e eu acredito na força da educação cívica, que nunca houve, para mudar as pessoas; que fazer, se ao contrário do que sucedeu na Irlanda por ex., se descurou essa parte que, afinal, constitui os alicerces da vida em comunidade? Confiou-de demasiado, e o resultado é esta choldra...
Beijo

O Réprobo disse...

Quanto ao primeiro "comentário", direi o que neste espaço rigorosamente apartidário e anti-partidário se dirá de qualquer outra organização litigante no jogo eleitoral: A RESPONSABILIDADE DA PROPAGANDA CABE UNICAMENTE AOS INTERESSADOS E O BLOGUE A ELA É ALHEIO.

O Réprobo disse...

Utópica Cristina,
a "educação cívica" ou é lavagem ao cérebro, ou completamente ineficaz. Nem sei qual será pior. A Cristina rejeita pela desilusão do sistema, eu pela própria ilusão dele.
Beijo

filomeno2006 disse...

"Desde los verdes valles al inmenso mar"........¿Y la Meseta Central, qué ? ¿Y el puerto de la Paramera? España......Jardim a Beira Mar Plantado 2 ? Ab.

O Réprobo disse...

Tens razão, Amigo Filomeno, grande parte do Território fica excluído da letra da descrição geográfica.
Abraço

Templo do Giraldo disse...

http://templodogiraldo.blogspot.com/

passem por aqui e comentem. saudações

O Réprobo disse...

Tenho todo o prazer em auxilar a divulgação de uma página dedicada a terra que me deu tantas alegrias. Évora Sempre!

Anónimo disse...

"A democracia é a guerra civil em estado latente". Nunca em tão poucas palavras foi dita uma verdade tão absoluta.
Mas os povos, inocentes e crentes que são, continuam a acreditar piamente na 'democracia' que lhes é impingida a tragos monumentais do pequeno almoço ao jantar, pela politicagem de serviço. É nessa crença e nos conflitos artificiais, bem como no acicatar do ódio de uns cidadãos contra os outros, sempre em permanência, que os falseadores da verdade, grandes democratas que são, pois claro, se baseiam e confiam, destruíndo países e povos de caminho. Sem eles a sua missão na Terra esgotar-se-ia, não teria sequer razão d'existir. Deste modo têm assegurados para a vida estatuto e dinheiro a rodos, para eles, familiares e amigos. A infelicidade e miséria dos povos? Estas não lhes interessam peva, não foi para as remediar que nasceram.

Cumprimentos Paulo.

Maria

O Réprobo disse...

Querida Maria,
que bom tê-La de regresso ao comentarismo desta barraca!
É bem verdade. E quando opinion makers do Bloco de Esquerda louvam as pretensas virtudes do confronto permanente, mais não estão a divergir do que no grau, face às forças dominantes do sistema.
Beijinho

tsantos disse...

É, esses bloquistas ainda não "evoluiram", como o PC e os partidos "democráticos"...
Apesar de se reclamarem da "nova esquerda" (seja lá o isso for), no fundo mantêm os tiques maoistas e quejandos em que se formaram. E, às vezes, o verniz salta...

O Réprobo disse...

Meu Caro TSantos,
porém, são menos perigosos: sem apoio doutrinal sólido acham-se condenados a formar vagas que, chegadas com força se quebram a breve trecho.
Abraço