quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Outro Victorianismo

A Faladora, de Jayesh Bhagat

Os empresários orientais que contrataram Beckham para dar o nome a um preservativo que produziram atribuem a um sentimento de ofensa da plateia admiradora do futebolista a abstenção da compra do produto. Parece-me evidente que não foi isso. Acho muito mais plausível que tendo tido conhecimento da gabarolice de Lady Victoria acerca das proporções extraordinárias do músculo do seu Mais Que Tudo, se tenha gerado a ideia de que o artigo que para ele remetia não serviria para gente menos dotada.
Foi por estas e por outras que só em 1950 o Estado Norte-Americano da Pensilvânia revogou uma lei de 1823, que, apesar de há muito em desuso, rezava assim:
As mulheres que em público se mostrarem imoderadas no falar serão amarradas a um tamborete e mergulhadas numa tina com vinagre

6 comentários:

Rudolfo Moreira disse...

Sem a loquacidade o mundo não seria menos agradável?

O Réprobo disse...

A diatribe visava apenas as palradoras que debitam disparates, como esta Victoria de que não gosto um pouquinho que seja, Caro Rudolfo.
Ab.

Capitão-Mor disse...

È caso para dizer que esse rapaz é pau para toda a obra!!! :)

O Réprobo disse...

É, mas os que o contrataram devem estar com vontade de lhe mostrar e à Mulherzinha, com quantos paus se faz uma canoa...
Abraço

tsantos disse...

Pois é, parece que os ditos empresários ficaram foi com...cara de pau.

O Réprobo disse...

Meu Caro TSantos,
uma coisa não se pode dizer: que no telvado ele se mostre um perna de pau. Devia era circunscrever-se ao domínio de que percebe...
grande lição para a Vida em geral!
Abraço