terça-feira, 17 de junho de 2008

Aporias do Casticismo

Destruição dos mitos: o "Licor de Portugal" cantado por Tony de Matos, com múltiplas campanhas assentes em autenticidade nossa, revela-se composto por álcool importado de Espanha e França. São assim muitas tentativas de conformação anti-cosmopolita, vão buscar os seus princípios constituintes ao estrangeiro que dizem odiar. Contra todos os exclusivismos e falsidades, deixo um spot que, desta forma desmentido, deve deixar a rir a bandeiras desp(r)egadas este filoscotch e Caríssimo Amigo...

6 comentários:

Cristina Ribeiro disse...

Salvar-se-á, talvez, a autenticidade do "licor" de que, n«O Pai Tirano»,a D. Margarida(?) pedia dois copinhos...; e mesmo nesse caso, o do vinho, ainda o não disseram três doutores :)
Beijo

Júlia Moura Lopes disse...

risada

Quando me falam em Tony de Matos, lembro sempre a minha mãe que dizia que ele "pagava para ir à TV". Nós riamos mesmo sem licor e ela continava "paga e bem" :-))

O Réprobo disse...

Ehehehehe, Ah Cristina, en não havendo pastelinhos de bacalhau, não era?
É também por aí que vou, dá-me ideia para um pst, amanhã.
Beijo

O Réprobo disse...

Querida Júlia,
mas entre as Senhoras do tempo da minha Avó - o que deve dar Bisavó da Júlia, houve casamentos tardios -, tinha uma saída!
Beijinho

ana v. disse...

Ao contrário da Ginjinha de Óbidos, que é bem nacional e deliciosa!
Beijinho

O Réprobo disse...

Ah, essa é que, espero importa muito, sem nada importar. Ptimeira utilização verbal no sentido psíquico, segunda no económicio. E tinha bela publicidade.
Beijinho, Querida Ana