domingo, 29 de junho de 2008

Sétimo Céu

Esta imagem deixou-me extasiado, por lembrar o meio em que se move a Cristina (só às vezes, eu sei), o curriculum da Ana, o convite para o chá no link da Once, o mais privilegiado dos Caminhos, o Celeste, da Júlia, a flutuação da Fugidia, a eliminação das realidades chãs pela Luísa e a anterior actividade da Nocas...
Até que dei pelo título - Graça de ClaraLucia. Está tudo explicado.

10 comentários:

Cristina Ribeiro disse...

Um cházinho nessa chávena tão delicada, Paulo? É para já!...
Beijo

fugidia disse...

A esta hora pode ser chá frio?
Beijinho, Rép.; V. é um artista na escolha das imagens e um querido nos mimos que distribui :-)

ana v. disse...

Que imagem fantástica, Paulo! Acho que todas nós nos sentimos acarinhadas por este post de homenagem ao eterno feminino. Pela minha parte, muito obrigada pelo mimo.
Beijinho

Once disse...

posso subscrever as palavras da Ana .. Caro Amigo .. mais um carinho, mais uma atenção .. a água ao lume e o bule pronto :)
Obrigada

O Réprobo disse...

Vamos a ele, Cristina!
Beijo

O Réprobo disse...

Ainda bem que gostou, Querida Fugi. E uma temperatura mais baixa no líquido, longe de exprimir frieza nesta pequena homenagem, trar-lhe-ia uma frescura que ajuda sempre.
Beijinho

O Réprobo disse...

Por Quem sois, Ana! O detonador foi o postal sobre o Ballet, no «Porta...», claro está. A imaagem já a tinha reservada, mas a forma de usá-la ocorreu-me depois de A ler.
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Once,
mais um factor de complexidade, o da chávena reflectida numa superfície que não podemos determinar, como se uma ampulheta fosse... Mas sem comunicação por onde escoasse areia, ou seja, como diz a Ana, a fascinação intemporal do Vosso Género.
Perante o sabor deste Chá quem não se sente feliz?
Beijinho

Luísa disse...

Meu caro Réprobo, é uma imagem muito leve, graciosa ou, em suma, feminina. Obrigada por ela… e pela satisfação que me dá ao integrar-me no grupo. :-)
P.S.: Já bebi café e chá num serviço dessa colecção. Os seus possuidores chamavam-lhe o serviço dos «morceguinhos», porque são morcegos os bichinhos desenhados nas chávenas. A porcelana é finíssima, o que dá outro gosto à bebida. Uma imagem, portanto, que é também evocativa de bons momentos.

O Réprobo disse...

Querida Luísa,
fui então guiado por um radar semelhante ao dos bichinhos, pois com estes olhos que tenho não haveria maneira de adivinhá-lo. O que mais prazer me dá é suscitar Nos que estimo boas recordações e a Luísa está na Primeira Fila, de pleníssimo direito.

Deixe-me brincar - e eu que pensava que o morcego repugnava sempre à Mulher!
Beijinho