sábado, 14 de junho de 2008

Águas Passadas

Do Passado Para o Futuro de Dmitry ZaytsevQuando deixaremos a fraqueza de pensarmos tudo em função de nós? Até a dimensão temporal, que outra coisa não é a consideração do Presente, esquecendo-nos amiúde de que o próprio vocábulo indica que não corresponde a um direito nosso. E se nos aproximamos dos elementos sujeitos aos ciclos, que trazem e levam os apogeus, por que não mantermos em mente que também toda a nossa existência é, de princípio a fim, um grão mais na refloração sazonal do Todo, em vez de sucumbirmos à vaidade de encararmos os dias que se escoam como se os contivéssemos, até ao dia último, o do esgotamento da água na corrente que nos transporta? O Presente é a Intranquilidade egocentrista.
Dedicado ao Nelsinho, Que é Camoniano, este injustamente menos conhecido do Poeta da Língua,

Com o tempo o prado seco reverdece.
Com o tempo cai a folha ao bosque umbroso,
Com o tempo pára o rio caudaloso,
Com o tempo o campo pobre se enriquece.

Com o tempo um louro morre, outro florece.
Com o tempo um é sereno, outro invernoso,
Com o tempo foge o mal duro e penoso,
Com o tempo torna o bem já quando esquece.

Com o tempo faz mudança a sorte avara,
Com o tempo se aniquila um grande estado,
Com o tempo torna a ser mais eminente.

Com o tempo tudo anda e tudo pára,
Mas só aquele tempo que é passado
Com o tempo se não faz tempo presente.

4 comentários:

hi disse...

Gostei muito do poema que não conhecia.
Bom fim-de-semana.

O Réprobo disse...

Obrigado, Querida Hi, é bom saber que Camões ainda vence a distância. E que A faz aproximar-Se de nós.
Igualmente e para Todos os Seus.

Nelsinho disse...

No aeroporto de Houston espero meu vôo para Miami. Mas não desespero, (pelo menos não muito) o atrazo, porque tenho a prerrogativa de acessar a net e ver o belíssimo poema do Incomparável!
Muito obrigado pela honroso "Camoneano"!

Bom fim de semana. Amanhã estarei no Rio...

O Réprobo disse...

Ui, Meu Caro Nelsinho, aquilo pela Florida não estaria com o espaço aéreo restringido? Foi dia de aterragem do vaivém espacial e costuma sempre interromper as descolagens e poisos durante algum tempo.
Ainda bem e estas afinidades O acompanharam com Camões. As palavras com que o lembrou no «Mukandas...» fazem-No inteiramente credor da designação.
Bom regresso e bom fim de semana.
Abraço