segunda-feira, 30 de junho de 2008

Outra Maneira de Existir

Antes do mais, devo dizer que, até hoje, nem fazia ideia da existência do Blogue bloqueado (ai a aliteração!) por decisão judicial. E aceito que nenhuma figura pública goste de se ver insultada. O que me faz espécie é o Tribunal ter reconhecido que a matéria agora subtraída ao olhar público, no seu grosso e por muito grossa que fosse, era mera expressão de opiniões, não publicação de veleidades difamatórias que se pretendessem factos.
Assim, a coisa torna-se mais perigosa, pelo menos para quem dê importãncia, quanto a mim imerecida, ao bloguismo. Estou cansado de dizer que a maneira mais saudável de encarar estes bocaditos que aqui se gastam é como mero passatempo. Mas claro que muitos serão tentados a promover-se a pensadores por dedilharem umas linhas, o que justificaria a charge que a imagem imputa à mente figurada na escultura de Rodin. Poderão esses achar apoio no facto de artigo do iol estar incluído na página de «Ciência». Mas cuidado com as decepções, já que, activado o link, cai sob a classificação da subdivisória de «Tecnologia». Quanto mais se sobe, mesmo imaginativamente, maior é o tombo...
Post Scriptum - passei os olhos pela página que sucedeu à sancionada e a ironia nela presente não me pareceu incompetente. É a única apreciação que posso fazer sobre aspecto concreto do caso.

22 comentários:

Luísa disse...

Meu caro Réprobo, não sou a favor, nem contra este tipo de medidas contra blogues. Depende dos seus conteúdo e alcance, claro. Espero que a decisão em causa tenha feito a distinção entre os conceitos de «crítica a autarca» e «insulto a pessoa». Concordo consigo acerca da importância dos blogues. Também os vejo como passatempos. Mas é verdade que alguns, nomeadamente os criados sob o «patrocínio» de revistas e jornais, já têm, claramente, outros objectivos… e, consequentemente, outras responsabilidades. :-)

ana v. disse...

Um dia destes também a CIA vai fechar o meu, por publicar fotografias do Bin Laden... (risos)
;)

fugidia disse...

:-) :-) :-)
Subscrevo o que dizem, meus caros.
E fico preocupada com a Ana... (risos)

Cristina Ribeiro disse...

Ana, há por cá uma região mais labiríntica que o Afeganistão; pode sempre refugiar-se :)

Once disse...

eu além de preocupada com a Ana ;)tenho de copiar esta frase "Estou cansado de dizer que a maneira mais saudável de encarar estes bocaditos que aqui se gastam é como mero passatempo."
Great piece of true Amigo Paulo.

ana v. disse...

Obrigada, querida Cristina. Não vou esquecer a oferta, quando precisar de asilo político...
:)

O Réprobo disse...

Com certeza, Luísa, soimos dois. O que me intrigou foi ter o Tribunal reconhecido que a maioria do conteúdo do blogue era mera matéria opinativa. Nem percebo a que vem esse reconhecimento, nem, constatando-o, estou certo do acerto da medida sancionatória.
Mas claro que, nesta especificidade, há que não me pronunciar sem maior conhecimento de causa.
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Ana,
muito pior, muito pior: por ter reconhecido ser a anterior encarnação dele! Até já me vieram pedir informações, mas, por agora, consegui despistá-los...
Beijinho

O Réprobo disse...

Já que protegê-La, Querida Fugidia. Infelizmente o nome da Nossa Amiga não dá para ser lido diferentemente de trás para a frente, caso em que seria uma camuflagem de tomo!
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
não tarda está a sugerir à Ana o uso de Buhrka. Ai, espere, isso por cá seria indiciatório, esqueça.
Beijo

O Réprobo disse...

Querida Once,
mas olhe que ando muito desanimado por ver até pessoas que estimo esquecerem-se disso. As pessoas cedem a cada uma!
Beijinho

O Réprobo disse...

Cuidado, Ana., olhe que há aviões que se enganam no destino e vão parar a Guantánamo.
Beijinho

mike disse...

Meu Caro Réprobo, apenas e só como mero passatempo, até quando esse passatempo deixar de ser gratificante. Não poderia estar mais de acordo consigo.
Um abraço.

O Réprobo disse...

Caríssimo Mike,
mas é extraordinário o número de pessoas que levam isto a sério, talvez por se levarem igual e doentiamente na mesma linha.
Abraço

marilia jackelyne disse...

Querido Réprobo,

Aqui no Brasil aconteceu algo semelhante quando o ex-presidente Sarney, então candidato ao governo do Estado do Amazonas, resolveu "fechar" um blog que publicou uma fotografia tirada de um muro com as inscrições "xô sarney".
O blog saiu do ar e voltou logo em seguida.
A medida foi mal recebida, espalhou-se uma campanha na "blogsfera" e a história repercutiu até nas pesquisas de intenção de voto.

ana v. disse...

Quanto ao carácter lúdico dos blogs não posso estar mais de acordo consigo, Paulo. Para levar a sério já basta tudo o resto, não é? Não concebo outra forma de blogar, a não ser como um divertimento e até uma brincadeira. O que não quer dizer que não se digam coisas muito sérias, mesmo a brincar.

O Réprobo disse...

Querida Marília,
até consigo entender o ex-Presidente: com o começo do sobrenome dele, podia sugerir um "Xô sarnento", outrora muito usado para afastar os cachorros suspeitos de portadores de doenças, o que não admira que ofendesse...
Mas claro que quem consiga em seu favor uma tal onda de solidariedade tem boas perspectivas de continuar. Por cá, com a vocação endofágica dos blogadores, fora de cada grupinho tenho ideia de que até grassaria uma secreta satisfação de ver o outro encerrado.
Beijinho

O Réprobo disse...

É evidente, Querida Ana. Simplesmente, lutar pelo que se acredita nem é incompatível com a urbanidade, nem com o desportivismo, muito menos com a boa disposição.
Beijinho

tsantos disse...

Parece que, neste país, as pessoas continam a levar tudo (e a levar-se elas próprias) demasiado a sério...e depois fazem estas figuras ridículas.

Contudo, num registo mais sério, começo a ficar preocupado: não apenas pela moda de recorrer á justiça para punir OPINIÕES desfavoráveis, como (e talvez ainda pior) pelo acolhimento favorável que os tribunais estão a dar a estes casos, parecendo ser incapazes de "distinguir o trigo do jóio"...

"Oh tempora, oh mores"!

O Réprobo disse...

Meu Caro TSantos,
é justamente essa receptividade da Magistratura que me espanta, sobretudo se corresponde por inteiro à verdade o tal reconhecimento da matéria opinativa muito maioritária. No mínimo suspeito de uma alteração de critérios, mas mais só poderia dizer se tivesse lido a página.
Abraço

tsantos disse...

Será que o problema é das leis ou dos juízes que as aplicam?

O Réprobo disse...

Ima terceira hipótese, Meu Caro TSantos, a generalização de um ambiente de misturada entre críticas e imputações que deixe ps magistrados sem saber muito bem destrinçar difamação e oposição e gere hipersensibilidade dos visados.
Abraço