sexta-feira, 13 de junho de 2008

Striptease Legal!

Já em tempos evoquei a estreia pública do bikini, na Piscina Molitor de Paris, tendo apenas faltado sublinhar as ironias de a uma balarina habitualmente nua se ter pedido que colocasse (alguma) roupa; e que onde se demandava um corpo tivesse surgido o dito de espírito que deu o nome imortal à coisa- Monsieur, o seu fato de banho é mais explosivo do que o atol de Bikini, disse então a portadora dele, com a consequência que ecoa.
Não admira que uma cidadezinha do Utah haja recorrido a este valor seguro para se publicitar. Escassos dias após ter proibido as duas pecinhas nas piscinas públicas, retirou a proibição. Reportando-nos à norma, foi o regresso do strip à sua condição habitual, envergado o reduzido vestuário para entrar no palco, logo foi retirado, em plena ribalta. Outro tanto aconteceu com a proibição.
Sabe-se como neste Estado de Mormons a fogosidade foi, historicamente, canalizada para a poligamia. Que efeitos terá sobre a população masculina esta indumentária proscrita e logo consentida? Excitará, ou substituirá? De qualquer forma, adicionando ao nome da povoação, Kanab, o bis do renovado consentimento, obtemos o valor fonético de uma droga. Resta saber em qual dos sentidos actuará.

4 comentários:

mike disse...

Fiquei a pensar se não excitará, substituindo, Meu Caro.

O Réprobo disse...

Ehehehehehe, Meu Caro Mike, isso � que seria conferir uma nova dimens�o � fama a�ambarcadora daquela F�...
Abra�o

minucha disse...

a partir de amanhã, tenho um mimo para si

beijinho, Paulo

O Réprobo disse...

Obrigado, Querida Minucha, vou ver se já lá está.
Beijinho