segunda-feira, 16 de junho de 2008

Efeitos Colaterais

É com algum alívio que recebo a notícia de um... perigo. Como a Saúde é o único bem que a sociedade actual não despromove como balelas, pode ser que a protecção ao físico dos filhos leve a afastar este monstruoso factor de dependência e automatização das crianças, a prazo a diluição das personalidades delas. Se a ASAE se virar para controlos etários do uso do comunicadorzinho, prometo dizer dela o que alguns indecisos do Diabo contam - que exageraram as cores com que a pintaram.

2 comentários:

Luísa disse...

Meu caro Réprobo, não é o primeiro alerta deste tipo. Mas nada parece capaz de amansar os ímpetos «tele-comunicacionais», tanto das crianças, como dos seus pais. Aliás, para se tornar mais apetecíveis, os aparelhos até já incluem joguinhos infantis, com que estimulam a dependência e a, pelos vistos, perigosa proximidade física. É muito preocupante!

O Réprobo disse...

Querida Luísa,
se é! descontando o perigo físico - o que já não seria pouco -, habitua a miudagem a não resolver problemas sem o encosto aos pais, que deveria ser a "bomba atómica" e passa assim a regra. Péssima pedagogia!
Beijinho