quinta-feira, 5 de junho de 2008

Constantes e Linhas de Força

>

Sempre gostaria de saber qual a reacção a este discurso, por parte dos críticos de Israel que depunham esperanças em que Obama modificasse a política americana no Médio Oriente, mesmo expondo-nos a todos a radiações persas. Claro que isto é fazer tábua rasa de uma constatação evidente, a de que a Comunidade Judaica Norte-Americana é muito mais próxima dos Democratas e neles mui mais influente do que nos Republicanos, mas o ódio a Bush II pode muito e ainda não sabem bem como substituí-lo. O próprio candidato veio cercear esse wishful thinking. Dirão que é mera retórica para agradar eleitoramente a milhões de votos que não pode dispensar. Mas aí é que está, eleito um presidente, começa logo a pensar em como alcançará a reeleição. E na Casa Branca a eloquência relevante é a dos actos, não já a das palavras.

2 comentários:

Rudolfo Moreira disse...

Interessante era saber de onde partiram os mails.

O Réprobo disse...

Meu Caro Rudolfo, os mais obcecados com conspirações dirão que da própria campanha, para permitir ao candidato o desmentido tranquilizador.
Ab.