segunda-feira, 2 de junho de 2008

Frutos do Mar

Criança Morta de PortinariTenho o Ministro Jaime Silva por atrozmente incompetente, com a agravante de tomo da facilidade ofensiva que a arrogância faculta. Não posso, por conseguinte, de ânimo leve, condenar a luta dos que tiram do mar a sua subsistência, cada vez menos, que a hipotecação despudorada a Bruxelas quer juntar os que já foram arrumados. Mas quando o interesse particular leva a impedir que se pratique o Bem, distribuindo alimento aos necessitados, toda a razão fica perdida. É muito pior do que o egoísmo sem sensibilidade que se está nas tintas para os que sofrem, encarrila pela diabólica procuração de obstar a que outros ajudem. Por muito publicitária que fosse, ou instrumental de posições opostas, nada justifica que se obstrua uma contribuição para minorar a fome, quando esta cresce. Também para casos destes gostaria de viver num Estado com uma polícia brutal, posto que soubesse seleccionar a aplicação dessa brutalidade. Como usar o cassetete nestes monstros que só dão pelas próprias dores.

9 comentários:

Natur Line Sex disse...

Gosto muito disto maravilhoso.
muito boas, mo’ gostou muito, da mesma maneira que o blog, obrigado muito

Once In a While disse...

Completamente de acordo Caro Paulo .. quando o interesse está e deve estar acima de "interesses" é que se vê quem por Bem vem ..

Fiquei impressionada com a reportagem que escutei hoje. Já não são só os lavradores a voltar ao uso dos animais por impossibilidades em pagarem o combustível das máquinas agrícolas.
Não sei o que se pretende.
Mas acho que em vez de "nervoso" o Senhor Primeiro Ministro deveria "recear".

O Réprobo disse...

Ehehehehehe, Querida Once, grande paródia com os ânimos primo-ministeriais! Só não creio o caso desesperado porque estes "governantes" fazem o que os mandarem fazer e, no caso, parece que Sarko e demais mandantes se preparam para lhes ordenar que desçam os impostos sobre os combustíveis.
Claro que o que hoje garantem impossível passará a ser "um imperativo ditado pela situação a que o governo nunca deixou de estar atento", blablablablabla...
Beijinho

fugidia disse...

Se há coisa que me deixa furiosa é esta mania de destruirem produtos alimentares...
Bom, fico por aqui senão ainda me ponho a dizer palavras menos próprias :-(

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
as palavras que menos próprias parecessem na boca de um Senhora, em circunstâncias normais, seriam as mais apropriadas, em casos como este.
Beijinho

ana v. disse...

Também digo o mesmo: destruir alimentos ou deixá-los apodrecer, num país onde há fome (há, sim, não vale a pena fingirmos que ela não existe...) é o pior dos pecados. Seja em nome de que causa for, mesmo que seja justa. Estamos a afundar-nos cada vez mais, em termos morais...

Luísa disse...

Também acho um crime, caro Réprobo, esse desperdício de comida, um bem cada vez mais escasso. Nem percebo a insensibilidade dos contestatários ao prejuízo que uma tal atitude faz à sua causa, que também me pareceria justa. Os estados de exaltação são péssimos conselheiros.

O Réprobo disse...

É, Ana, absolutamente ridículo, ouvir bradar por direitos sociais em abstracto muito atendíveis pessoas absolutamente surdas a urgências ainda maiores. É o salve-se quem puder, Querida Amiga.
Beijo

O Réprobo disse...

Ai se são, Querida Luísa, ai se são! Mas penso que eles estarão confiantes de que nada se virará contra eles por a esmagadora maioria das pessoas que tomariam conhecimento do triste acto se estarem - pensam-no - tão nas tintas para o sofrimento que lhes não toque como eles próprios.
E nem quero pensar que tenham razão.
Beijinho