sábado, 7 de junho de 2008

Ponte da Situação

A Ponte Europa de MonetQuem pensasse que travessia do deserto seria a designação ideal para a nova passagem sobre o Tejo, até pela convicção em tempos expendida pelo Lino Ministro quanto à Outra Banda, desengane-se! É muito mais apta a descrever o momento que vive a harmonização dos divórcios entre cidadãos de dois Estados-Membros da UE, por receio de fortalecer a vontade Irlandesa do Não. Entre o medinho e as convicções quem ganha, quem é? Os traços desta ligação aérea estão cada vez mais indistintos.

6 comentários:

Cristina Ribeiro disse...

Ai como eu gostava de ver os " porreiristas pá" a terem de refazer a coisa em termos alcançáveis por um qualquer leigo, e à vista de toda a gente- mais uma vez Deus escreveria certo por linhas tortas...
Beijo

tsantos disse...

Está visto que esta coisa dos referendos é um aborrecimento...Os países civilizados já não usam essa figura arcaica da consulta directa ao povo...;)

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
pode ser que tenha essa sorte. Nesse dia seremos todos Irlandeses.
Beijo, esperando por tal trevo da nossa sorte

O Réprobo disse...

Meu Caro TSantos,
nem tanto, nem tanto, se aparentarem poder ser ganos, é um saudável exercício de Democracia perante o qual a classe política se inclina. Só nos casos em que se suspeite de derrota possível passam a um excesso evitável, atentatório do Representativismo...
Abraço

tsantos disse...

"...se aparentarem poder ser ganos, é um saudável exercício de Democracia perante o qual a classe política se inclina."

Precisamente. São muito imprevisíveis, como os Independentes do outro...Logo, é mais seguro não recorrer a eles...

Ab

O Réprobo disse...

É a isto que se resume o conceito que fazem de uma governção segura...
Ab.