quarta-feira, 21 de maio de 2008

Imitações Baratas

Com o intuito de homenagear a Nocas Verde e de A ajudar a encontrar motivos da cor, que porfiadamente procura, dou aqui o coelho verde. Sem reservas quanto ao preito, com todas as que posso quanto ao processo de alteração que levou a criar esta aberração. Nem falo nos sentimentos do bicho, apesar dos problemas de "inserção social" despertados. Cinjo-me à dignidade que está presente em ser conforme ao Natural, impeditivas de se vitoriar no pobre roedor o que se condena nas experiências dos médicos hitlerianos, ou na folclórica sede de mudança do Michael Jackson.
Ao verdadeiro artista que se revelou o Sr. Eduardo Kak, inspirador do projecto, diria que a Arte imita a Vida, não é a Vida que imita a Arte. Sob pena de nos transformarmos um dia nessa cogitação de extra-terrestres popularizada como estranhos homenzinhos verdes. Seremos então outra coisa, Homens é que não.

7 comentários:

fugidia disse...

Toda a razão, querido repr :-)
E um bom dia para si!
:-)

(ah... e brinquei um bocadinho... só um bocadinho pequenininho consigo... lá na minha toca) :-p

mike disse...

Oh Meu Caro Réprobo, a Nocas vai ficar verde de raiva com a sua homenagem. É que eu acho que Ela não é uma extra-terrestre. (risos).
Não liguem, ando a reler a Zaragata (essa mesmo do Asterix). :)

O Réprobo disse...

Vou já ver, Querida Fugi. O que me terá reservado?
Ainda bem que gosta da bicharada comme il faut.
Beijinho

O Réprobo disse...

Meu Caro Mike Detritus,
a raiva Verde???!!! Eu que a pensava Roxa... Verde é mais para inveja (upa, perdão) e aqui não se encontra do que tê-la!
Abração

Nocas Verde disse...

Ai, ai, ai, ai... que dizer? Mein Got.. que dizer? pelo fim (?) pode ser?
Verde é sempre o que a Nocas quiser... esperança, inveja, e, agora, de embaraço (coro... mas em verde)
Animais (já deve ter reparado deste lado) só ao natural. Como eles são. Bonitos, feios, bons ou maus. (adjectivos com muitas aspas)
Extra-terrestre? Pois ainda esta hora de almoço eu dizia que aguardava a todo o tempo que o realizador dissesse "Corta!" e me tirasse deste filme de mau gosto que a Vida deste Lado é... por vezes. Disso a isto ser um planeta alienígena infestado de extra-terrestres onde eu (humana :)) fui abandonada... vai um passo.
Ai, e eu que me alongo sempre tanto por aqui, Sir Réprobo. Desculpe mais uma vez.
Pavlov? Resposta a colocar... pode ser?
Embaraçada ainda por tão inesperada referência em lugar assim, tão, tão, tão... referencial... nem sei que diga
beijinho
(...) e obrigadas verdes deste lado

Nocas Verde disse...

Ah...
Uso o seu espaço para dizer ao Mr. Mike: Astérix lives forever.. ou toujours - é melhor :)

O Réprobo disse...

Querida Nocas Verde,
foi de inteira justiça e essa do lugar referencial só se compreende como escusa a dizê-lo reverencial!
Ficamos então à espera da tal contestação sobre os reflexos condicionados, sendo certo que as palavras com que nos distingue parecem sempre curtas a quem A estima...
Beijinho