sábado, 17 de maio de 2008

Reversos do Orgulho

Figura Alada de BougereauO lirismo, para ser apresentável, tem de se revestir da indumentária do tributo. O egotismo tem pleno lugar no sentir que se canta, ou tange, já que da lira se importa, mas apenas na medida em que o objecto do seu afecto seja Outro, a que se convenciona querer mais do que a si. Num dia de lembrar a mais excessiva e aceite das Florbelas, a que implacavelmente Espanca esta pseudo-humildade convencionada e convencional, é a fúria egocêntrica que perde o pudor, mas, com ele, a coerência. Pois se o Mundo é o dos próprios versos e dos beijos percebidos, ou lhe não querem tanto mal assim, ou querendo-o, à Autora, tal só se explicaria por as asas não serem tão poderosas como julga. Fazendo o Orgulho acabar mal, não já por ser enorme pecado, mas por se revelar ínfimo pretexto para versejar.

VERSOS DE ORGULHO

O mundo quer-me mal porque ninguém
Tem asas como eu tenho! Porque Deus
Me fez nascer Princesa entre plebeus
Numa torre de orgulho e de desdém.

Porque o meu Reino fica para Além!
Porque trago no olhar os vastos céus,
E os oiros e os clarões são todos meus!
Porque eu sou Eu e porque Eu sou Alguém!

O mundo! O que é o mundo, ó meu amor?!
O jardim dos meus versos todo em flor,
A seara dos teus beijos, pão bendito,

Meus êxtases, meus sonhos, meus cansaços...
São os teus braços dentro dos meus braços.
Via Láctea fechando o Infinito!

6 comentários:

Júlia Moura Lopes disse...

Querido Paulo,

Quem me dera ter feito este post.

beijinho

O Réprobo disse...

Pois a veemente (porque Amiga) aprovação da Júlia foi a melhor das tranqulizações que eu poderia obter, quanto a uma eventual validade do dito.
Beijinho reconhecido

Once In a While disse...

"Porque eu sou Eu e porque Eu sou alguém!" .. e eu? em minúsculas, perfeitamente separado como se de dois se tratasse ..
e trata :)

intenso este! e claro que não pude deixar de reparar nas etiquetas.

minucha disse...

Querido Paulo


"pseudo-humildade" é essa a chave.
Nem sempre o orgulho é pecado, pecado é a humildade convencional.
Só estará de acordo comigo em parte, né?
sorriso

beijinho

O Réprobo disse...

Querida Once,
não poderia deixar de reparar na etiquetagem do Ser, pos que tão bem atentou no fraccionamento dele, posto em jogo poeticamente. FB tinha destes lampejos que conferem dimensão mais lata ao que, doutra e noutra forma, poderia não resultar senão em choraminguice.
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Minucha,
eu gosto de todas as convenções que contribuam para evitar ferir o Outro. Até que ponto tenham correspondência autêntica já é outra questão, a da grandeza ou banalidade pessoais. Mas aqui era a insuficiência estética que enformava a maior recriminação, que apresentei em conclusão, não tanto a normalmente preponderante problemática moral.
Beijinho