quinta-feira, 15 de maio de 2008

O Círculo Vicioso

Cheri Blair, a Mulher de que ninguém, salvo o Tony, gosta, vem memorialisticamente dizer que ficou a admirar Hillary por esta, magoada pela traição, ter apoiado o Marido no Monicagate, para lhe salvar a Presidência. Como se sabe, este é um ponto que deixa paralisadas as feministas. Predispostas a gostar da actual Senadora por ser uma Mulher tida por capaz de conquistar o Poder, não lhe conseguem perdoar o que consideram subserviência perante o infiel Bill. A meu ver, a indecisão não tem grande razão de ser, a Sr.ª Clinton é mais do que suspeita de não se ter vingado, não por subsistência do afecto, mas para preservar hipóteses de candidatura presidencial sua. Como seria em si que pensava e não no seu amo e senhor, podem ficar descansadas essas almas danadas: se ela não fosse tão calculista, lá deixaria o Poder inteiramente à mercê dos nefandos machos!
Não creio que, no fim de contas, haja sido assim tão fria. Mas serve para mostrar como o fanatismo sexista é muito pior do que as antigas solteironas de Província, a meter-se na vida alheia. Como as milhares de megeras que escreveram à Mulher de John Prescott, aconselhando-lhe as piores formas de se vingar do adultério dele com a secretária...

2 comentários:

Rudolfo Moreira disse...

Acusam-na de frieza quando até aqui a mesma reacção era só lealdade.

O Réprobo disse...

E acho abusivo, Caro Rudolfo, fazer juízos sobre a pretensa frieza de alguém, quando o prejudicado é o proprio. Mais séria será a acusação de dizer não importa o quê para ser eleita, mas está-se a querer fazer uma regra pública sobre matéria eminentemente privada, como é a forma de reagir a uma ofensa.
Ab.