segunda-feira, 5 de maio de 2008

Esses Bloqueados...

Parece ter sido Joseph de Maistre o primeiro a escrever o que havia muito se intuía, a saber, que cada país tem os governantes que merece. No caso dos sistemas eleiçoeiros essa verdade é erguida em próprio espírito e fundamento do regime, quanto aos que vencem nos votos, pelo que não há razão para admiração de que os deputados gastem o seu tempo em sites como os que se revelam bloqueados na AR. Então não representam um povo que fez explodir os orçamentos de muitos cantos da Função Pública em ligações para linhas eróticas?
Agora, fica é demonstrada a fragilidade da confiança institucional nas autoridades que os nossos eleitos pretendem também ser. Esta censura, não já na produção, mas no consumo, uma espécie de IVA censórico, pode vir a ser erguida em desculpa para incompetências e ineficácias, por lhes "haver sido sonegado o contacto com a realidade". Além de que, em bom rigor, existindo imparcialidade, dever-se-ia impedir o acesso à própria página do par(a)lamento: mesmo os optimistas que não queiram ver nele uma droga, ou conteúdo pornográfico em discursos que sodomizam os eleitores sem encanto, sentimentos, ou história sequer, será impossível negar que é uma jogatana permanente.

2 comentários:

Rudolfo moreira disse...

Não há problema porque eles já podem requerer o acesso às páginas proibidas.

O Réprobo disse...

Agora percebo, Caro Rudolfo, por que razão um dos direitos que lhes estão outorgados é o de apresentar requerimentos!
Ab.