segunda-feira, 5 de maio de 2008

Resposta À Bomba

Sócrates Desviando Alcibíades do Amor Sensual de RegnaultA Charlotte pergunta em que era Sócrates - o Verdadeiro, o Antigo - arrogante. E eu respondo: Ao não reconhecer à Poesia, para que não era dotado, o direito ao entendimento: Cheguei à conclusão de que não é a sabedoria que possibilita aos poetas escreverem a sua poesia, mas uma espécie de instinto ou inspiração, como as que podes ver nos videntes e profetas que transmitem as suas mensagens sem perceberem o que elas querem dizer. E também quando mandou calar um interlocutor por não considerar o que aquele dissera verdadeiro, bom, ou útil. Nos dois casos há uma desqualificação do Belo, sabendo-se que lhe era sensível, ou não tivesse encaminhado o seu sentido da Estética para a apropriação de Alcibíades, o mais belo dos Atenienses. É neste desprezo simulado e proclamado pelo que desejava e não tinha, como património originário, que ganha importância a sua "fealdade", tornada filosoficamente relevante por Nietzsche.

6 comentários:

cristina ribeiro disse...

Uma outra das mil caras da arrogância, com efeito; mais subtil...
Beijo

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
pois com certeza, lá por ter um certo passivo, não diminuamos a importância de um pensador por homonímias infelizes!
Beijo

av disse...

No segundo caso concordo inteiramente consigo ao considerar Sócrates arrogante, no primeiro já não. Acho que ele tinha razão quanto à sabedoria instintiva - ou intuitiva - da Poesia. Sem me considerar incluída na categoria de Poeta (por falta de mérito, não por excesso de sabedoria), também penso que a poesia se faz muito mais de rasgos intuitivos do que de esforçada aprendizagem e análise. Percebo, por isso, que um filósofo a subestimasse. Mas talvez o Paulo tenha razão, afinal. Tendemos a subestimar, muitas vezes, o que simplesmente não dominamos.

O Réprobo disse...

Mas, Querida Ana, se fosse apenas uma divagação sobre a fonte da criação poética... No entanto, como sabe, ele tentou desviar a Juventude do culto Homérico, congruentemente com a incompreensão que apontava a essa vertente artístico-espiritual. Não pouco contribuiu tal pedagogia para a acusação de impiedade e corrupção dos jovens que o condenou.
Quanto à Sua Poesia, é magnífica, ainda ontem me estive a deleitar com partes dela. E vou envergonhá-La, publicando aqui, mais dia, menos dia.
Beijo

av disse...

Vai deixar-me envergonhada, de facto. Mas ao mesmo tempo tenho uma certa curiosidade de saber o que escolherá do que eu escrevi.
Um beijinho

O Réprobo disse...

Wait and see, mas claro que a vergonha era por, sob o pretexto da modéstia, nos ter mentido descaradamente sobre a Sua vocação poética, Querida Ana.
Beijinho