sábado, 3 de maio de 2008

A Longa Marcha de Mau (Fumo)

Devo deixar expressa a minha compreensão para com os 500 pedrados que marcharam para legalizar drogas leves. É que deve ser duro, sendo pesos-pluma, sentirem-se fora da lei. Agora, as declarações do Sr. Miguel Portas, que apelou a que proibissem a guerra, não a marijuana parece-me encerrar uma paráfrase mais perigosa do que fácil: o dito inspira-se claramente no façam amor, não a guerra, desses anos 1960´s subitamente na ordem do dia das nostalgias. O que me deixa de boca aberta pela exautoração imposta à vertente física do amor!Mas há mais: com certeza que, informado por tais princípios, deve detestar um certo político americano, traidor a estes manifestantes, já que não inalava; e afrontador deles porque distribuiu bombas bem reais, na Jugoslávia, Somália e sabe Deus mais onde...
Mas claro que as drogas leves são substâncias respeitáveis. O infame tabaco é que tem de ser proscrito!

2 comentários:

filomeno2006 disse...

El hermano del Sr. Portas, si no recuerdo mal, fue condecorado en el Pentágono por Mr. Donald Rumsfeld........

O Réprobo disse...

Huuum, o mais velho deve ter ficado cheio de vontade de derreter a comenda que terá derretido o maninho, caso este não seja um agente infiltrado.
Abraço, Meu Caro Filomeno