terça-feira, 25 de março de 2008

Nem Só no Melhor Pano...

Uma regra consuetudinária da História e da histeria eleitorais Norte-Americanas diz que questionar o patriotismo do adversário é o derradeiro "argumento a que se recorre", quando mais nenhum resulta. Foi o que fez Bill Clinton contra Obama. E a resposta veio, levando, definitivamente, para a chinela as pretensões do debate, com um assessor do atacado a dizer do ex-Presidente que deixara, com a sua atitude, uma nódoa muito maior do que a espermática do vestido da Monica Lewinsky.
Estava desde o início curioso por saber como haveria de ser chamado à colação o famoso escândalo, já que Hillary pareceria poder sempre sair beneficiada, pelo estoicismo com que aguentou a provação. Não esperava era que fosse suscitado nas Primárias. Mas foi-o. E a campanha clintoniana também já veio comparar o Senador do Illinois ao procurador que investigou o caso...
Azul era a cor do vestido da estagiária, azul é a cor do Partido Democrático. Com oponentes destes o Senador McCain não precisa de apoiantes.

2 comentários:

Rudolfo Moreira disse...

S. Espero que a Páscoa tenha corrido bem e também concordo que não era preciso lembrar a mancha que o homem tem no currículo.

O Réprobo disse...

Foi boa, obrigado, Caro Rudolfo.
Não pensei que os Democratas esgotassem um tema que só pode prejudicar quem o brande. Embora reconheça que a preservação daquele caldo entornado possa prejudicar a imagem da candidatura a Primeiro... Cavalheiro da História.
Abraço