quarta-feira, 19 de março de 2008

Linhas & Agulhas

Então não querem lá ver que o réprobo, além de o ser por milhentas outras razões, passa também por maldito descarrilador de comboios? É o que tenho de concluir da minha aventura de ontem: como lera este alerta do nosso Gazeteiro, acerca de estar vedado o acesso ao Blogue Dele numa estação de Metro, lembrei-me de experimentar chegar ao meu, no terminal da estação ferroviária de Cascais. Eis que obtenho a mesma resposta, que o acesso estava impedido por razões de segurança da empresa.
Fosse eu da laia daquela gente, faria agora um choradinho, porque vítima da censura da longuíssima noite Democrata. Como não sou, divirto-me com o caso. Nunca pensei que uma pobre página, desprovida de apoios, militância organizativa, ou influência, sem mais aceitação do que a dispensada pela indulgência de um punhado de Amigos, pudesse incomodar tanto.
Ao contrário do nosso Caríssimo Confrade, não reclamarei. Deus Nosso Senhor, na Sua Infinita Generosidade, permitirá que acabe os meus dias sem pedir o que quer que seja a pessoas que não respeito. E a esses lápis azuis informáticos, carecidos até da dignidade da patente de Coronel, direi que, não fazendo parte das minhas Afinidades, nem das Efectivas nem das suplentes, acho coerentíssimo que não passem por aqui. Os Utentes das composições é que terão mais lenha para a fogueira de lamentar a quebra de qualidade do serviço.
E, tudo pesado e sem rancores, para ser consequente com o que aqui escrevi, nem me importava de pagar uma bica ao responsável pela proscrição, de entrevistá-lo, inquirindo-o acerca de qual dos meus escritos sentira como ameaçador. A curiosidade sobre o Homem, mesmo na parcela cujos instintos menos aprovo, é indissociável de mim.

4 comentários:

gdr disse...

Ora aí está mais um caso. Parece que têm mesmo um index poderoso, sabe-se lá regido sob que critério que não seja o de censurar em acesso público o que de mais público tem a modernidade: a blogosfera e a livre circulação de ideias que por ela se faz.

O caso preocupa-me e faz-me pedir esclarecimento, não tanto pelo acto em si de bloquear a GdR, mas pelo argumento usado: "segurança interna". É grave que assim seja e não passo sem saber a que tipo de paz sou perturbador em lugar de ninguém como é uma estação de comboios.

Um abraço

magdalia disse...

Caro Paulo,
Digo-lhe o mesmo que disse ao GdR. não é motivo para preocupações, mas sim de alegria. É sinal que os vossos blogs incomodam e fazem a diferença.
São bons!
Por isso é que entram na censura.
Talvez ser uma ameaça à segurança interna das estações de comboios, não seja assim tão mau! Loooool.
Grandes palhaços.
De facto, concordo consigo, reclamar não servirá de muito porque, provavelmente, não vão responder.
Cumprimentos e continue!

O Réprobo disse...

Meu Caro Gazeteiro,
devem ter descoberto aqueles planos que tivemos uma trabalheira em conceber, de lançar gás Sarin no Metro e fazer descarrilar a com-boiada... Ooooooops, lá me descaí!
Agora a sério, é uma maneira de fazerem publicidade grátis, assim as Pessoas que lêem as nossas imprescindíveis páginas ficam a saber que há metropolitano e CP! Falem de nós, nem que seja mal...
Mesmo muito, muito a sério: isto vem comprovar que os auto-denominados democradas, quando sentem os calos pisados, não hesitam em calar quem deles não gostam. Não me lembro é em que dia usei botas ferradas que ferissem pezinhos tão sensíveis...
Abraço solidário, ó co-Vitimado pelos que andam na linha

O Réprobo disse...

Querida Magdalia,
grato por comentar. Ná, não contem comigo para reclamar, nem para mais reclames. Vou passar a tratar o Chefe da Estação, e, se um dia o conhecer, qualquer adinistrador daquela sucata por "Exm.º Senhor Censor".
Gostava era de ter a lista completa, para promover um "jantar dos censurados", sem a inconveniência de esquecer alguém.
Beijinho