segunda-feira, 17 de março de 2008

A Quem Possa Interessar

Tivesse a História decorrido assim e os aliciamentos tornar-se-iam supérfluos, a cobra desempregada e Eva e companheira silenciosas, rivalizando no impulso da deglutição.
Deixaria de se poder dar o nome de Adão à maçã que nos dizem atravessada no pescoço. Mas teria valido a pena? É de crer que não. Dizia outra, Lady Macbeth que o que está feito está feito.
E assim se encontra justificada a frase do Abade Guyon o Inferno está calcetado de línguas de mulheres...

6 comentários:

Meg (sub Rosa) disse...

Ah! que maldoso é o Abbé e por consegüinte, o meu querido Rébrobo também.

Mas, é sempre bom recordar-se de que o modo como *dizem* que tudo sucedeu, ainda que não seja o perfeito, é chamado por quem conhece do riscado de "Felix culpa", não é mesmo?
;-)
Quer dizer, eu mesmo não sei dessas coisas...

Beijos queridos e amigos
Meg

O Réprobo disse...

Querida Meg,
concordamos quanto ao gálico abade. Aora o pooooobre réprobo? Se reparar, o meu "e assim" remetia para a fala da ecocesa maligna, quer dizer, para a ausência do arrependimento, nela que é uma reedição de Eva, agravada por inexistir serpe atenuante.
Beijinho

Meg (sub Rosa) disse...

Ora, ora, ora, querido R�probo (mais querido ainda, agora, acredite):

Que bom que me chamou a aten�o,
a boa escrita exige leitura atenta.

N�o h� atenuantes � para mim.
E olhe que das trag�dias do Bardo, essa � a que vem em segundo lugar nas minha prefer�ncia.

Ainda assim, consegui ver uma sutil ironia do meu amigo R�probo, avalizando - de um modo geral - o dito do cl�rigo.
E com intui�o feminina, n�o se discute;-))))). Ainda mais quando se est� doentinha!

Muitos risos e beijinhos.
M

O Réprobo disse...

Queida Meg,
enfim, avalizar, avalizar não diria. Um deleitezito pérfido pelos pozinhos de provocação contidos não enjeito. Mas, desde que seja num grau de mera brincadeira, não me parece haver mal de maior.
Beijinho

av disse...

Porque eu também vejo aqui uma subtil ironia e um deleite evidente, acrescentaria à calçada infernal, além das línguas femininas, os posts masculinos...
Beijinho, para si e para a Meg (intuição feminina não lhe falta, cuidado com ela!)

O Réprobo disse...

A Meg é um Prodígio! Estou certo de que, havendo blogosfera ao tempo a que o Venerando Abade opinou, ele enriqueceria o elenco. Quisesse eu prosseguir a escalada, diria que ainda bem que se encontram expressões femininas no Inferno: neste, que é movido por um co-movido réprobo.
Bj.