quinta-feira, 1 de maio de 2008

Ajudem-nos!


Sabe-se como nos Estados Unidos se mudou o Dia do Trabalha-dor para a primeira semana de Setembro, com a justificação de o 1º de Maio ter sido apropriado pelos Socialistas e Comunistas. Aqui entre nós, é uma desculpa algo fajuta, como diriam os Nossos Irmãos Brasileiros. Lembre-se que Regime de Vichy instituiu a data como feriado, o da Festa do Trabalho e da Concórdia, por influência do Secretário de Estado René Béllin. Cá vemos o Marechal no célebre encontro com os Operários do Loire, em que, discursando, lhes pedia, como aos patrões, para não acolherem mais os demagogos, abolindo a Luta de Classes.
Ná, a explicação para a transferência do festejo norte-americano tem de ser outra. Talvez o peso na consciencia de ter dado origem a muito conflito, com os acontecimentos que formaram o mito do dia, no Haymarket de Chicago. Mas o massacre dos polícias, a condenação sem prova suficiente e o apelo dos anarquistas à violência ocorreram nos dias posteriores, a manifestação de dia 1, por um horário equilibrado, tinha sido pacífica.
May Day, juntas as palavras, dá pedido de socorro, em Inglês. Nesta dicotomia de dias celebrativos também é uma questão de espaço que marca a diferença - o da preponderância do Capitalismo selvagem versus o da desconfiança dele.

2 comentários:

filomeno2006 disse...

And Walpurgis Night ?

O Réprobo disse...

Tencionava falar no reverso dela, logo à tarde, Caríssimo.
Ab.