segunda-feira, 14 de abril de 2008

Amores Proibidos

Apaguem a Vossa Chama!(no melhor espírito da ASAE)

18 comentários:

cristina ribeiro disse...

Arranja-se-lhes já um sinal " reservado a fumadores" ; quem é que vai ter a coragem de interromper esta sinfonia, em que ninguém desafina?...
Beijo

Meg (sub Rosa) disse...

Querido Amigo:

Gostava de saber onde arruma tantas ilustrações maravilhosas, embora seu talento especial me pareça ser arrumaá-las com jeito, bom gosto e pertinêmcia.

A mim parece que à essa altura, já seriam horas não de apagar mas de modificar o tipo de chamas.;-))

Ah! querido Amigo, estive ontem à noite a fazer uma ronda pelos meus blogs preferidíssimos e perdi um imenso comment, lá no postal (!) sobre o Beckett e Wilde e o pintor Ensor.
Agora, não seria capaz de refazê-lo.

Saiba, no entanto, que ainda que rarissimas vezes não comente estou aqui sempre, assim permita o fôlego curtíssimo e avariadao dessa sua Amiga.

Mas é post belíssima e o encandeamento de idéias, da Verdade com a Responsabilidade e Impunidade, da ignota identidade de quem fala - à perfeição correlacionada com a Impossibilidade da fala mostrada pelo Mestre do vazio, da solidão num mundo arrasado e sem contornos, na despovoada realidade que é a solidão humana.
Espera-se , afinal, ou não por Godot?

Um beijo, queridíssimo Amigo Réprobo.
Seu blog, para "tísicas":-) novecentistas como eu deveriam ser proclamados, de *especial* utilidade pública e artística.

Um beijinho muito Amigo
da
M.

fugidia disse...

Nesta imagem, caro Réprobo, vê-se bem que os cigarros estão a mais: por todas (e más) razões...
(o que esta gente inventa para disfarçar a vontade de dar um delicioso e esplêndido beijo...)
:-)))

cristina ribeiro disse...

Errata: sabotei o meu trocadilho :) queria escrever sintonia (sinfonia a dois?); é que este é daqueles casos em que bastam dois :)
Beijo

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
Como a miudagem diz, bute lá! Fazer uma Sociedade Protectora dos acendedores destas flamas, digo. Para passar rasteiras à inspecção...

Ora, tão dilatados estão naquela empatia que o dueto se transformou em verdadeira filarmónica completa.
Beijo

O Réprobo disse...

Muito Querida Meg,
malvada geringonça, a aspirar os comentários da Sempre Desejada Meguita! E isso não se faz,é como pôr o petisco diante de um gatinho e puxá-lo quando ele se apresta para comê-lo...

Esta imagem retirei-a da capa de uma revista francesa dos Anos Vinte, intitulada «Flirt», calcule!
Tem toda a razão quanto ao exasperante da permanência do estádio ígnio representado. Mas é dar-lhes tempo... há ritmos que obrigam a queimar (ooops, juro que esta foi sem querer) lentamente as etapas que outros saltam.

Eu penso que Beckett desenvolveu com um rigor inigualável - e por isso mais ninguém depois dele pode escrever à la Beckett - o elo final de uma cadeia que começa na desconformidade entre o cálculo da aceitação própria e a suportabilidade da ausência de dissimulação. A pergunta deliciosa que põe é a da superlativa incapacidade de se alinhar pelos nexos que, entretanto, foram questionados, com a eliminação da confiança em qualquer sobrevivente que tivesse a veleidade de se dar como ponto de referência.
As visitas da Meg é que são um tónico para cntinuar.
Beijinho muito amigo

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
e, no entanto, tentemos outras duas vias de exploração:
1- como acto preparatório, quer pelo carregado simbolismo do gesto de acender, quer pela dificuldade de respirar cija simulação o fumo legitimaria, promovendo a urgência de uma respiração boca a boca...
2- Como elipse, já estão mergulhados nos mais radicais sabores & estímulos do ramo e nós, pobres inocentes, pensámos que eles se tinham ficado por encarnação de acendalhas.
Beijinho. Temos de viver com o respeito que temos.

av disse...

Pois eu vou escandalizar-vos, meus amigos: a imagem sugere um subtil "ménage a trois", e não um dueto. Repare-se na posição da mão que se vê surgir dos arminhos(serão?), numa posição que torna clara a impossibilidade de pertencer à fumadora-beijoqueira. Ao fumador-beijoqueiro também não me parece que pertença, logo... os cigarros são só para disfarçar!
;)

cristina ribeiro disse...

Hummm! Parece, olhando bem, que a Ana tem razão e a coisa desafina mesmo :); mas se eles acham que três não são demais ...saberão as linhas com que se cosem; desde que seja num lugar "reservado a fumadores" ,a ASAE não os vai importunar...para já... :)

Diogo disse...

A catástrofe financeira vista por Bush

Jon Stewart, do Daily Show, aborda com extraordinário sentido de humor a catástrofe financeira que se abateu nos Estados Unidos e as explicações dadas por Bush em Wall Street:

Bush: Venho aqui como um camarada optimista. Quero lembrar-vos que não é a primeira vez desde que sou Presidente que enfrentamos desafios económicos.

Bush: Herdámos recessão...

Bush: E houve os ataques de 11 de Setembro de 2001...

Bush: E depois tivemos escândalos empresariais...

Bush: E tomei as difíceis decisões de enfrentar os terroristas e os extremistas em duas frentes: Afeganistão e Iraque.

Bush: E depois tivemos... desastres naturais devastadores...

Jon Stewart: Eis a maior loucura disto tudo: a sua Presidência é ainda pior do que eu me lembrava! E eu tenho prestado muita atenção! Mas quando ouvimos isso tudo junto... you sucks!

Vídeo legendado em português:

O Réprobo disse...

Quuerida Ana,
mas... sendo um braço feminino, não prejudica um bocado essa interpretação? Por que é que se esconderia, quando estaria mais do que apto a preencher uma fantasia adicional do cavalheiro? Ná, ainda acho que, com aquele gesto a amparar a pele, se trata do membro superior da enlevada fumadora, com um desenho pobre, sobretudo no comprimento...
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
mas veja a coisa pelo outro lado: estando ali um elemento que não fuma, a ASAE encontraria ainda maiores razões para reprimir o intercâmbio, por prejudicial à saúde da terceira...
Beijo

fugidia disse...

Hum...
sabe caro Réprobo, aprecio sempre as várias perspectivas possíveis...
Fico também por aqui, para manter elevadíssimo o nível deste seu blog :-p

Meg (sub Rosa) disse...

Caro Réprobo, Amigo:
A Ana é uma miúda do piorio (somos amigas e posso chamá-la assim) pois veja lá querido Amiga, como assa as castanhas e retira a mão.]

Eu estou escandalizadíssima:-)))
Inda mais sendo um revista *vintage* Flirt , francesa, anos 20. Ohhhh! Mais chic impossible.

Eu, tenho para mim, que se fosse o ménage e fosse a dona do braço, ficaria muito má da vida.
Pois eles estão tão enlevados, que parece não haver esse *plus* que dizer o sonho de qualquer homem, coisa que decididamente não entendo.
Mas, também, eu não entendo nada mesmo.
Aninha, seria uma luva já assim com anel e tudo, uma commodity?

beijos , queridos e estimadíssimos Amigos.
Meg

=-=-=
P.S.
Vou estar eses dois dias afastada da blogosferta. Mas digo um sentido Obrigada pelo que têm-me feito de Bem com essas saudáveis e alegres conversas, brilhantes e divertidas.quanto a todos que comentam aqui e eu e leio.

A Ana é mesmo uma espécie autêntica de hub da blogosfera.
Devo tanto a ela.
Devo tanto a todos.
beijos comovidos

O Réprobo disse...

Querida Meg,
pois é, a Nssa Miúda do Piorio entendeu por bem abreviar o carácter relativamente apolíneo do enlevo daquele duo e transformá-lo, com um terceiro membro num trio... se não de cordas, ao menos da corda. É o pendor Dela para a fruição musical, nada a fazer!
Adorei a frase das castanhas e da mão! Digna de ir para citação do dia!
Beijinho!

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
claro, mas temos de considerar as implicações dessas hipóteses. Acha que o parzinho encigarrado e em si agarrado tem ar de gostar duma intrusa, ou de um complemento aham... tão directo?
Beijinho

av disse...

Olha... o que eu tenho estado a perder por não ter voltado mais cedo!
Maria Meg, minha querida amiga, aqui está a Miúda do Piorio em pessoa! Também adorei a estratégia das castanhas assadas, que aliás é também a tua... não te vais retirar por dois dias, hein? ;)
Mas mantenho a minha teoria de uma terceira personagem, ou então o artista que desenhou a cena não percebe nada de anatomia. Mas talvez os meus compostíssimos amigos tenham razão e não haja fétiches envolvidos neste dueto idílico. Sendo assim, resta-nos uma hipótese: é a mão da própria ASAE, já a caminho de arrancar aos fumadores apaixonados os cigarros pecaminosos e de lhes estragar o momento romântico. Como sempre, inoportuna e a mais em todo o lado... ou seja, uma "incommodity"!
beijinhos a todos

O Réprobo disse...

Querida Ana,
com essa hipótese tenebrosa de ser a manápula asaesca, fico a rezar a todos os Santos para que chegue o momento em que todos possamos concluir tratar-se da mãozinha do finado...
Beijinho