quarta-feira, 16 de abril de 2008

Elevação das Expectativas

Enquanto não chega o contributo pela Meg prometido, está na hora de apresentar as minhas conclusões provisórias sobre os usos e abusos do calçado feminino: a primeira reside em todas as razões e mais algumas aventadas, as estéticas, as de auxiliares da libido, as de satisfação emanada da mudança anatómica que se consegue, ficarem grandemente prejudicadas quando o objectivo, continuando muito embora numa esfera de concorrência, passe a ser o de bater records... Ora vejam os certificados "saltos mais altos do Mundo". Quem conseguirá andar com eles? Haverá alguém a sentir-se estimulado nestas e por estas andas? Conseguirá a portadora satisfazer-se com a própria imagem em tão instável (des)equlíbrio?

Sob o ponto de vista puramente estético também infunde muitas dúvidas o aproveitamento da Pintura para a decoração do revestimento dos pés, Assim, André Perugia inspirado em Braque dá-nos este peixe caminhante, que não apetecerá ao consumo. Mas pode ser aproveitado para uma ilação moral - quando uma Mulher compra um par de sapatos tem sempre um motivo a que lançar a rede.

Por fim Magritte, com o nada inocente Modelo Vermelho, dá-nos a compatibilização das vantagens do calçado velho, o de ser sentido como parte do pé, e a volúpia daquele que, de preço, foi recentemente adquirido. Para além de juntar mesma instância os apelos erotómanos de pé e suas capas.

9 comentários:

fugidia disse...

Caro Réprobo,
com estas ilustrações quase me apetece dizer que começo a prezar o salto raso, credo!

Conseguiu encontrar coisas absolutamente horríveis (não o Magritte, obviamente...) :-)
O sapato-peixe tem um "olhar" tétrico e as andas parecem dois pelicanos com papeira...
Há gente com o gosto muito estragado...

Beijinho :-)

fugidia disse...

Vou tentar encontrar algo mais elegante... e postar só para si :-)

O Réprobo disse...

Era o intento, Querida Fugidia, dar conta da perversão do princípio...
Beijinho

Júlia Moura Lopes disse...

vou linkar,Paulo!

Está o máximo

beijinho

av disse...

Preciosas e altíssimas contribuições! E também medonhas, fora o meu querido Magritte (nada inocente, mesmo).
Beijinho

O Réprobo disse...

Obrigado, Querida Júlia. Até me dói ver esta galeria de horrores próxima daqueles pezinhos maravilhosos!
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Ana,
obrigadíssimo, espero que não seja dose muito forte para as Boas-Vindas aquando do regresso da Meg!
Bj.

Carlos Portugal disse...

Caríssimo: a moda dos coturnos passou do teatro clássico para a Sereníssima República e depois para as abandalhadíssimas respúblicas S.A. de hoje, onde o mau gosto e o absurdo imperam, numa tentativa de impor uma «realidade» cada vez mais virtual e imbecil. Onde cada S.A.zinha tenta, aos pulos, dar nas vistas, para obter notoriedade e mais alguns cobres.

Não se trata aqui de erotismo, mas sim de mau-gosto vigente e de mercantilismo demente.

Um grande abraço.

O Réprobo disse...

Meu caro Carlos Pprtugal,
eu que sou um fanático dos pés femininos envolvidos por sapatos, sandálias e botas (ai!) de salto, numa linha, digamos, clássica, fico contristadíssimo com adulterações como estas, ou como as que as Spice Girls fizeram por espalhar.
Aaaaargh!
Abraço