sábado, 12 de abril de 2008

Mote Para Botim

Então, minhas Senhoras, para quando essa discussão sobre o grande tema do nosso tempo, o calçado feminino, para que Vos revelásteis tão disponíveis? Tenho de ser eu a romper as hostilidades? Pois seja, com uma citação de Shaw: Se uma Mulher se rebelar contra os sapatos de salto alto, deve ter cuidado de o fazer sob um chapéu notável.
Ou optamos por um registo mais sério? Na Antiga China mandava o decoro que as Senhoras não apontassem aos médicos no próprio corpo o local preciso das suas queixas, fazendo-o antes numa boneca de marfim como a que se dá à estampa. Duas escolas de pensamento há sobre o facto de este belo exemplar se encontrar calçado, uma diz que por requinte, a outra opina que assim mandava o pudor, pois por aquelas paragens o pé é um símbolo sexual. Por cá também; mas alguém me faz a esmola de explicar em que é que um nu calçado morigeraria a situação?
Posted by Picasa

12 comentários:

fugidia disse...

lol lol lol lol
Meu caro Réprobo, isto não vale!
Eu prontinha para ir dormir, venho cá só espreitar a sua resposta à minha resposta ao seu anterior comentário :-) e dou com mais este post?!

Bom, a propósito do pé e do símbolo sexual, um dia vi um filme (chinês ou japonês, não me recordo sequer do nome), que contava a história de um Senhor que tinha várias esposas. Escolhia uma por noite para o seu quarto mas a escolhida tinha um prémio antes do início das "hostilidades": uma belíssima, uma fantástica, massagem de pés, dada com a ajuda de um instrumento que fazia um chinfrim medonho.
As outras, ao ouvirem o barulho, desesperavam de desejo (pela massagem...) e ansiavam pela noite seguinte, em que seriam as escolhidas.
Eu, tal como as outras, terminei de ver o filme em desespero absoluto... :-)))

Amanhã, no pleno uso de todas as minhas faculdades, voltarei a esta caixinha.
Boa noite.
:-)

O Réprobo disse...

Também vi esse filme, Querida Amiga; e cá A espero.
Sobre a citação do GBS, notável vai por "smart". claro que se for traduzido "à moda" potencia o paradoxo.
Beijinho

O Réprobo disse...

Não era «Esposas e Concubinas«? O filme, claro.
Beijinho

Nelsinho disse...

Entrei sem bater e senti-me tão à vontade que andei por aí...

fugidia disse...

Não, recordei-me entretanto: "Lanternas Vermelhas" de Zhang Yimou. Um belíssimo filme mas, confesso, mais do que o argumento, as interpretações, a cor (muito bons, todos), o som do tal instrumento nunca mais se saiu da cabeça :-D

Vou ver se ainda "posto" esta tarde alguma coisita sobre o tema do post...
Bom domingo :-)

O Réprobo disse...

Meu Caro Nelsinho,
e que alegria recebê-Lo! Entrou sem bater porque para os Amigos a porta está sempre aberta. Volte sempre!
Abraço

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
Ah! Assim pelo título não sei se vi esse... Mas assisti a um que continha uma cena parecidíssima com a que descreveu, não há dúvida. Fico em pulgas...
Beijinho

av disse...

É claro que Shaw era irlandês e por isso não podia referir-se à estatura das mulheres portuguesas, que, sem saltos, desapareceriam debaixo de um chapéu espalhafatoso como se fossem umas bolachas. Ou um chapéu andante...
Quanto ao debate sobre sapatos, estou pronta: Maior amante de sapatos do que eu, acho que só a Imelda Marcos!
Beijinhos

Anónimo disse...

olha o Gold já foi substituido!!!

fugidia disse...

Caro Réprobo,
afinal o meu post não foi exactamente o que tinha prometido (embora não tenha "fugido" de todo ao assunto).
Para tentar compensar as expectativas goradas, ofereco-lhe a visão de uma verdadeira musa que sabe aliar os saltos altos com um ar sexy :-D
E, ainda, uma pequena lição para, querendo, V. aprender a andar de saltos altos. Nunca se sabe, como diz o pai do amigo da Rosarinho, se um dia não é obrigatório... (a menina que dá as dicas é que não ajuda muito à lição: parece ser mais adepta dos ténis...) :-D

Beijinhos. :-)

P. S.
Estou à espreita, querida AV, à espreita...
Não demore, s. f. f. :-)
beijinho

O Réprobo disse...

Querida Ana, olhe que a nossa Meg fica Brava se ler isso, ehehehehe.
Vamos a ele, pois.
E o Shaw era vegetariano, não era? Quem sabe se não tinha o apetite em mente ao criar essa imagem do Mundo Feminino luso assemelhado a cogumelos?
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
eu sou o primeiro admirador da Jessica e só o ditame de que as Mulheres do Amigos são homens me impede, pensando no RR, de passar a vias de facto.
Quanto ao ensino a caminhar nas alturas dos tacões, sempre alimentei alguma boa vontade para com o treino dos manequins, com as moças a serem obrigadas a caminhar em cima dos stilettos com uma quantidade de volumes equilibrados na cabeça. Mas não para tentar eu a proeza: valho-me de Santo Ambrósio ("a letra mata, o Espírito vivifica"), para entender que me assentam formas menos denotativas de meter livros na cachimónia!
Beijinho