sexta-feira, 25 de abril de 2008

A Revelação dos Cravos

Nada como voltar aos clássicos, para evitar que as mediocridadezinhas nos perturbem. Em não gostando do Presente que nos deram, umas quantas linhas de bom e imorredouro recorte logo nos reconciliam com a Vida, algo maior que o nosso tempo. Acordado na predisposição de embirrar com a auto-congratulação florida do triste estado das coisas, de imediato uma poesia do Abade de Jazente me devolveu a boa disposição. Precisamente aquela que dedicou a um colega que andava de cravo ao peito:

Tendes o cravo no peito
O lugar impróprio é,
Pois se o tivésseis no pé
Era o lugar mais perfeito.
Não julgueis que o meu conceito
Vos faz a menor censura;
É só com doce brandura
E sem vos fazer agravo,
Dar-vos pancada no cravo
Sem tocar na ferradura.

16 comentários:

João Borges disse...

Delicioso, para a efeméride que corre.

O Réprobo disse...

Também achei de uma actualidade extrema, ehehehe.

O Jansenista disse...

Ahahahah! Brilhante! Lembra como ficámos encravados...

O Réprobo disse...

É bem verdade, Meu Caro Jans. Para além de ser cópia do 28 de Maio, em que, por se ter realizado um Congresso Mariano, os soldados de Gomes da Costa enfiaram cravos BRANCOS nas espingardas, assim como os contestatários da Guerra do Vietname. Mas nem os adeptos de uns nem os dos outros andaram com a pobre flor encarcerada na lapela, como os tristes da classe política que nos calhou em sorte.
Abraço

cristina ribeiro disse...

"Pour courir vers d'autres lunes,
Pour courir d'autres fortunes,
L'important c'est la rose..."
Beijo

O Réprobo disse...

E se a Querida Cristina lembrar o princípio da estrofe, ela reza assim.
"Toi qu´elle a laissé tomber..."
Toi, Qui? Le Portugal!
Elle, Qui? La partidocratie, donc!
Je Vous embrasse

av disse...

Cher Paul,
Un peu trop libre, l'interpretation du poème... non?
;)
Bisoux!

av disse...

Refiro-me à letra da canção, claro, e não ao poema do post. Que aliás é delicioso e se aplica, de facto.

palestina livre disse...

Afinal sempre era o FA que no Jantar das Quartas por lá andou a dizer que tinha dúvidas sobre a Democracia.
Assina "revi-sionista".
Um Académico fascista!
Bem, que o PCP é anti-democrático há muito se sabia. Ou não tivesse as iniciais que tem...

Viva a Democracia!
Viva a Liberdade!
Viva Portugal!

cristina ribeiro disse...

Post scriptum- rosa branca ou amarela; nada de confusões :)

O Réprobo disse...

Acha, Querida Ana?
Mas olhe que as aspas terminam no primeiro verso. E achei o resto tão na linha do texto... quando tudo se perde... para mais com a precisão da Cris, que logo intuí.
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
Evidentemente!
"Rosa branca ao peito
a todos está bem"
é o que diz a canção, que não fala em rosas-rosas ou cravos.
Beijo

Júlia Moura Lopes disse...

enfim,e assim se criam os icones...coitado do cravo que não lhe perguntaram a opinião se queria entrar na revolução..

beijinho

av disse...

Estava a meter-me consigo, Paulo. Acho graça que faça tudo ir parar à partidocracia, para defender a sua dama!
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Júlia,
tem muita razão, foi c(r)avado, esse destino!
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Ana,
pois se a pobre Dama de que me faz cavaleiro andante foi vítima da difamação dessa malvada criada invejosa e traidora que é a partidcracia!
Muito pior do que a de «O Primo Basílio», pois não só embolsa o que extorquiu, como ainda agrava o crime não se abstendo de denegrir a reputação de quem nunca foi adulterina, embora, no Constitucionalismo Liberal, haja sido adulterada.
Beijinho