segunda-feira, 14 de abril de 2008

Pau de Dois Bicos

A descoberta de que os beijos podem funcionar como anti-depressivos corresponde a qualquer constatação de empirismo menos embotado. Que as trocas de bactérias correspondentes façam bem ao coração é que me deixou com ganas de processar a entidade que distribui os temas pelos dias, bem como, subsidiariamente, o Serviço Nacional de Saúde, com direito de regresso: então marcam a jornada para um Domingo, em que só as farmácias de serviço estão abertas?
Finalmente compreendi o édito puritano de Cromwell, o qual proibiu, sob pena de prisão, a beijoquice dominical. O pior foi descobrir que há uma Doença do Beijo. Perderia logo a causa, o Estado defender-se-ia com o controlo sanitário nesse domínio. Cheira-me que é mais uma preparação de campanhas restritivas de comportamentos privados. Não é de agora, já em 1909 se criou nos EUA, essa pátria das proibições ominosas, a Liga Antibeijo, que os tinha por anti-higiénicos. Depois do bombardeamento pró-preservativo, temo que em breve se prepare a proscrição de qualquer incauto que cante a simpática melodia brasileira «Ficar Com Você»...

9 comentários:

Luísa disse...

É verdade que existe a «doença do beijo». Conheço quem já a teve. Não o querendo «assustar», meu caro Réprobo, ouvi até dizer que deixa algumas sequelas ao nível do sistema imunitário. Não mata, mas mói. ;-D
A questão – como em tudo na vida – resume-se, portanto, em pesar os prós e os contras… Espera-se que as nossas autoridades, no frenesim sanitário em que andam, não tenham mais essa inspiração de o tentar fazer por nós.

av disse...

"Beijar faz bem ao coração e é anti-depressivo"... mas afinal onde está a novidade? Estou consigo, Paulo: qualquer analfabeto sabe isto, por experiência própria. A terapia só falha em quem não tem com quem praticar, e é por essa triste constatação que chega à depressão...
beijinho (cheio de saúde!)

fugidia disse...

Bom, caro Réprobo, o que andou a fazer na sua adolescência e/ou juventude???
Não conhecia a "doença do beijo"?!?
Hum, quando estamos grávidas dá um jeitão saber que já se teve "mononucleose" (não foi o meu caso, infelizmente :-( ) :-D

E quanto ao beijo, não há melhor remédio garantido para gripes, constipações etc. Remédio santo: necessita apenas de várias tomas ao dia, vários dias, seja lá qual for o dia da semana ou do mês...

Beijo (respeitoso, evidentemente!)
:-D

O Réprobo disse...

Querida Luísa,
muito obrigado por esta explicação dos factos da vida, estou completamente desolado, ainda acreditava no Pai Natal da segurança desta simpática aproximação, descontadas as hepatites B´s contra as quais me vacinei, eis que recebo qual chapadão na face a notícia de que a actividade comporta o perigo de uma SIDA menos glutona!
Pronto, o risco está aonde o homem vai, mas o que se ganha em conhecimento perde-se em coragem! Aaaargh
Beijinho

O Réprobo disse...

Não é, Querida Ana? Li, num outro estudo, que quem beija muito falta menos ao emprego. E entendi, querem fazer da coisa um círculo (e ciclo) vicioso. Beija para não deprimir e ir trabalhar, acumulando o stress que deprime, não restando remédio outro do que beijar. E assim, ad infinitum, salvo quando já não haja beijador ou coisa beijada.
Bj.

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
dou-Lhe a minha palavra de honra que nas aventuras da minha adolescência - e até em repercussões tardias - nunca engravidei. Talvez por isso tenha, muito felizmente, passado a consciência dessa ameaça. Nem quero pensar! Com a hipocondria dos verdes anos, cada míúda que beijasse virava suspeita de me ter contagiado! Vou contar-lhe um segredo. Aos 16 anos fui posto fora de um consultório pelo Médico, farto de aturar os meus pedidos para me extraírem o apêndice, sem precisar! Mas apavorava-me a ideia de uma crise quando andasse, por exemplo, a passear pelos campos, longe de um qualquer hospital...
Beijinho

av disse...

LOL! Ainda bem que nunca engravidou, Paulo! Estamos muito mais descansadas...

fugidia disse...

lol lol lol lol
(no coments...)
lol lol lol lol
(mas sim, mais descansadas...)
lol lol lol lol

:-)

O Réprobo disse...

Não quis que perdessem o sono, Queridas Ana e Fugidia...
Beijinhos