terça-feira, 15 de abril de 2008

Viagem Em Itália

Paisagem Italiana de Ilian RachkovTenho dito e redito que não gosto de Berlusconi, porquanto o tenho como um egotista mesclado de Liberalismo. Onde uns poderão achar que uma coisa compensa a outra, vejo a adição de dois males. O seu regresso ao Poder corresponde ao que, como se vê aqui, era fácil prever: incapacidade total de Prodi, homem que tenho por íntegro, de conter as feras que o apoiavam.
Mas previsões de outros lados falharam. Desde logo as sondagens que davam a nova maioria incerta ou tangencial no Senado, qando os vencedores obtiveram sensivelmente a mesma diferença do que na Câmara e com percentagem de votação mais alta. Com uma vitória suplementar, a da homogenização, pois o aumento de eleitos foi conseguido apesar do abandono da coligação pelos Democratas-Cristãos de Casini, que mantêm a expressão parlamentar, como de uma facção da AN, agora integrante de La Destra e, last but not the least, o apagamento da identidade própria que restava a Fini.
Falharam ainda mais as sondagens, ao não preverem o afundamento dos Comunistas, para esta pugna coligadíssimos numa Esquerda Arco-Íris que não conseguiu resultado visível, reformando esse Bertinotti que fora a força profunda da queda do anterior governo. Quanto a mim, é a prova mais acabada da trituração mediática das figuras que promove. Senhor de uma capacidade dialéctica invejável, o ex-sindicalista de Turim, viu a sua imagem de queridinho das televisões, que resistira ao snobismo operário sobrevivo e acusador de ter renegado as origens, sumir-se nos abismos da vontade de abranger.
Mas a Itália governa-se por si. O pior já aí está, com o triunfante a retomar a mania das reformas, circunscritas à superestrutura política e constitucional. As quais trouxeram, agora é inegavel, a bipolarização. Mas para fazer o quê com ela? Naquele País partido por dois ou partido por mil...

8 comentários:

cristina ribeiro disse...

É a pecha dos latinos, que me custa muito ver como sina...
Por agora, com essa bela pintura, remeteu-me a uma viagem pela Itália que Byron apreciou...
Beijo

filomeno2006 disse...

¿El Honorable Andreotti continúa como Senador?
¿Será restituido a la Cámara el Cuadro sobre la Epopeya de Lepanto retirado por orden del Honorable Bertinotti?

Atrida disse...

Meu caro, confesso que já não sei como te convencer que Prodi é um patife da pior espécie, campeão da promoção da morte da Europa, especialista na coabitação com os "compagnons de route" do estalinismo quando isso serve os seus intentos eleiçoeiros.
Teve o que merecia - e já foi tarde.

marta disse...

Querido Paulo


Mas parece que a Máfia está a apoiar Berlusconi, o que é bem grave.


beijinho

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
não sei se pecha, é termo adequado para exprimir a incompatibilidade com um sistema hediondo e sem a Legitimidade do Tempo.
Mas que sofremos mais com a inadequação do que os Anglo-Saxónicos, não tem dúvida.
Beijo

O Réprobo disse...

Meu Caro Filomeno,
esperemos que sim, até porque o dito FB já não se sentará na assembleia, tendo falhado a eleição e renunciado à liderança.

Pensava que J.A. tivesse já resignado já. Mas mesmo nesse caso, o fantasma deve continuar a cirandar pelo Palácio Madena as infinitum...
Abraço

O Réprobo disse...

Meu Caro Átrida,
não é essa a minha avaliação, penso-o pessoalmente impoluto, o que não consigo dizer de Berlusconi. Que se pôs ao serviço da demolição nacional dos burocratas de Bruxelas, não tem discussão. Mas estou convicto de que ele acredita piamente ser a via certa para o bem-estar dos povos. Não confundo honorabilidade pessoal com impropriedade política.
A ex-DS que, com os fiéis dele e outros constituiu o PD, é encarnada por reconvertidos do Comunismo, mas não do Estalinismo. o PCI repudiou-o quando era complicado fazê-lo. Mas aquela gente já não tem indexação que se veja a essa genealogia. São filhos pouco pródigos, ehehehehe.
Abraço

O Réprobo disse...

Querida Marta,
não tem precisão, ele tem a sua própria, concorrente impessoal e intransmissível.
É uma fatalidade da política italiana do Pós-Guerra. Como Mussolini era odiado pelos padrinhos, por ter sido o único governante a pô-los em dificuldade, os Americanos usaram a «Oneravole Societa" como guarda-avançada na Sicília e garantiram-lhe margens de intocabilidade em todos os governos posteriores.
Beijinho