quinta-feira, 10 de abril de 2008

Indícios Velados

Uma adolescente muçulmana processou um salão de cabeleireiro londrino, por não lhe darem emprego em razão de usar o véu islâmico cobrindo o cabelo, o que a terá feito sentir-se devastada. Ora parece-me uma natural medida de gestão de pessoal e marketing, não uma perseguição religiosa. Sendo o objecto da prestação a beleza das trunfas das clientes, impressiona pessimamente ver a da... operadora coberta. É como se uma vendedora de roupa se exibisse andrajosa, ou um cozinheiro revelasse uma subnutrição evidente. Quem confiaria aos profissionais incapazes de cuidar de si no respectivo sector as respectivas pessoas? A cabeleira oculta poderia bem fazer suspeitar resultados devastadores, por imperícia ou métodos ruinosos originados...

Posted by Picasa

6 comentários:

filomeno2006 disse...

También exigen ser fotografiadas para el Bilhete de identidade con velo, pañuelo y lo que se tercie.......

O Réprobo disse...

Meu Caro Filomeno,
já agora, com burkha, no caso das comunidades que as usam, o que ajudaria imenso na identificação e segurança...
Abraço

Rudolfo Moreira disse...

S. A imagem é de ficar com os cabelos em pé!

O Réprobo disse...

Melhor do que um encantador de serpentes com aplicação de conhecimentos ao campo capilar, Caro Rudolfo!
Abraço

Bic Laranja disse...

Ela que processe também os chefes da mafoma que a mandam andar assim.
Cumpts.

O Réprobo disse...

Caríssimo Bic,
a Sua observação fex-me ver a luz: ela pode é processar o Estado que a acolheu, por não obrigar as clientes a andarem também de cabeça cobrta, o que extinguiria os motivos atendíveis para a não admissão, já que os resultados não, perdão, só seriam visíveis a olho nu, quer dizer, pelo marido das clientes.
Abraço