domingo, 20 de abril de 2008

Fuga Para a Frente

Mulher e Pássaro ao Luar, de MiróDia do aniversário daquele que Breton considerou o mais surrealista de todos eles, o que se compreende, se pensarmos na própria renitência do visado em deixar-se aprisionar na escola de um só grupo, opondo-lhe sempre as influências paralelas do Cubismo e da Arte Popular. Também se perceberia pelo pendor mais submisso à alucinação que o próprio Joan Miró deu a conhecer. Mas, ao prescindir das relações paradoxais das figuras imediatamente apreendidas, ainda que reconhecíveis, como, passados os habituais erros de precurso, a preocupação da defesa contra a Modernidade ameaçadora, fazem-no voar para além da lógica (ai!) da Escola. Com boas cores, pois!

14 comentários:

cristina ribeiro disse...

Quando fui visitar o Museu Miró em Barcelona, adquiri dois lindos posters, em que ele perspectiva os pássaros em dois diferentes momentos do dia: de manhã e à noite. Com eles fiz dois belos quadros...; mas como uma madrinha não recusa nada a uma afilhada, ainda mais quando esta é a irmã mais nova, imagine o Paulo onde é que eles foram parar...
Beijo

O Réprobo disse...

Ehehehehe,
a espoliação do Parentesco Espiritual, agravado pelo Real...
Querida Cristina, nesta obra, mais ainda do que dos vultos feminino e alado, gosto do confronto entre o império da luminosidade ígnea e o cone de predominância de Selene, com a movimentação transfronteiriça entre ambos.
Beijo

fugidia disse...

Caro Réprobo,
podia ter a caridade de me dizer pelo menos um tema sobre o qual V. nada saiba dizer???? :-)

(saiba que um dia, jogando trivial pursuit contra os meus pais e, à altura, namorado, todos com enorme cultura geral, acabei por ganhar por ser a única que sabia quem era o (então) marido da barbie? he he he he - ficou tudo furioso :-D)

Beijinho, e gosto muito desta mulher e deste pássaro ao Luar :-)

av disse...

Fugidia, já me ri com gosto dessa sua história. É a prova acabada da utilidade das pequenas informações, que parecem completamente inúteis. Essa foi boa! E estou a ver os seus sábios, completamente desarmados perante os resultados...

Quanto a si, Paulo, rendo-me sempre à sua sapiência, a propósito de qualquer tema. O seu Afinidades é uma escola que frequento com gosto.
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
não há qualquer mérito meu, o que nos envolve é que oferece tanta coisa digna de ser abordada...
E claro que é importantíssimo para a sanidade mental não nos fixarmos num tema, ideia, ou sentimento, caso em que se transforma um ser humano num maníaco ou num chato, por vezes em ambos.

Era o Ken? No outro dia fiz um postal sobre ele. E já escrevi sobre a Barbie e o equivalente muçulmano...
Beijinho

O Réprobo disse...

Essa é boa, Ana,
vinda de quem nos deslumbra avassaladoramente com uma escrita unvulgaríssia e cultivada!
Mas a Caridade assenta-Lhe que nem luva, ao contrário da impiedade tauromáquica. Epa, esqueça, saiu-me...
Beijo

av disse...

LOL!
E saiba que também já escrevi sobre a Barbie e a sua correspondente islâmica. Que se chama, salvo erro, Salma!
Bjs

fugidia disse...

Era o Ken, claro :-D
(parece que se divorciaram...)

Concluo que o meu querido Réprobo até sabe discorrer sobre barbies e afins :-p
Muito bem: aqui não há possibilidade de nos fixarmos num tema; quando muito, podemos sempre voltar a alguns (como os saltos altos ou afins... :-D)
Beijo de bom resto de fim-de-semana :-)

O Réprobo disse...

Pronto, Querida Ana, obereço-Lhe o meu braço na estrada das bonecas... já que no atalho dos bichos...
Olhe que o que disse da Escrita era para ser "invulgaríssima". A digitação dá cada coisa...
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
sou um vampiro das temáticas. Cuidado!
Nos afins dos saltos altos entra a crocomania? Mas reparo que ainda não discutimos a minha preferência de fruição visual: botas!
Beijinho

fugidia disse...

Hum... botas?!
Adoro botas: é o que uso sempre no inverno :-)))
Vamos a elas?

(gostei das lágrimas croc...) :-D

cristina ribeiro disse...

Gosto muito da leitura que faz desta pintura, Paulo; é, mesmo, o factor mais apelativo.
Beijo

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
corramos então para essas maravilhas de cano alto.
E a expressão para que remete, a lacrimosa imagem dos alligators, teve origem nada menos do que em Erasmo! Não é coisa pouca.
Beijinho

O Réprobo disse...

Obrigado, Querida Cristina,
é para isso que cá estammos, para efectivar as afinidades.
Beijo